22°
Máx
17°
Min

Brasil descarta favoritismo ao título do handebol feminino no Rio

(Foto: Confederação Brasileira de Handebol) - Brasil descarta favoritismo ao título do handebol feminino no Rio
(Foto: Confederação Brasileira de Handebol)

A seleção brasileira feminina de handebol tentou esfriar neste domingo a empolgação pela ótima campanha na fase de grupos dos Jogos do Rio. O técnico dinamarquês Morten Soubak garantiu que após quatro vitórias em cinco jogos, o elenco continua sem estar acomodado e, inclusive, teme o possível adversário das quartas de final, a Holanda, contra quem jogou em dois amistosos preparatórios.

"Chegamos ao Rio com os dois pés no chão, e vamos continuar assim. Para nós, nada mudou. Mas agora é outro campeonato. Passa a ser mata-mata. Vamos continuar da mesma forma que tratamos cada jogo", afirmou o treinador. A vitória neste domingo por 29 a 23 sobre Montenegro levou o time da casa a avançar no primeiro lugar do grupo. Na terça-feira, pelas quartas de final, o confronto será com o quarto lugar da outra chave.

O provável adversário será a Holanda. Antes dos Jogos do Rio, as equipes se enfrentaram duas vezes, com uma vitória brasileira e um empate. "Agora a situação é outra. Em amistoso, o clima é bem diferente. Nós evoluímos desde então, assim como elas também. Quartas de final é um outro torneio. Nossa derrota para a Espanha nos fez crescer", comentou Duda Amorim, uma das principais jogadoras do Brasil.

A ida para as quartas de final fez a seleção igualar a melhor campanha da história, obtida em Londres, em 2012. Na ocasião, a equipe também teve quatro vitórias e uma derrota na fase de grupos, até cair no mata-mata para a Noruega. As jogadoras relembraram que a Holanda vem de um vice-campeonato no Mundial no ano passado e deve oferecer dificuldades. "Quando se joga amistosos, nos preparamos mais para a competição do que para o adversário em específico. Agora, poderemos aprimorar a parte tática pensando na Holanda", disse Soubak.