21°
Máx
17°
Min

Brasil fica em último lugar na final por equipes da ginástica feminina

Brasil fica em último lugar na final por equipes da ginástica feminina

A seleção brasileira feminina de ginástica artística não conseguiu manter o padrão da fase classificatória, perdeu três posições e terminou no oitavo e último lugar na final por equipes nos Jogos Olímpicos, nesta terça-feira, na Arena Olímpica do Rio. Com 172,087 pontos, o País repetiu o desempenho de Pequim-2008, o melhor das brasileiras até hoje na história da modalidade. Em Londres-2012, sequer se classificaram para a final.

A vitória ficou com os Estados Unidos, soberanos nos quatro aparelhos, com a pontuação total de 184,897. Assim, a estrela Simone Biles conquistou a sua primeira medalha de ouro nos Jogos Olímpicos. Nos próximos dias, essa conta deve aumentar. A distância para o segundo colocado comprovou o domínio das norte-americanas, que foram muito aplaudidas e festejadas pelo público. Esse foi o terceiro ouro olímpico da equipe dos EUA, as outras foram conquistadas em Londres-2012 e Atlanta-1996.

A Rússia (176,688) garantiu a medalha de prata, e a China (176,003) completou o pódio com a conquista do bronze. As russas tentaram recurso na trave e no solo, mas tiveram o pedido negado. Japão, Grã-Bretanha, Alemanha e Holanda terminaram à frente do Brasil.

Na trave, a equipe brasileira começou a decisão por equipes com Daniele Hypolito. A ginasta teve um grande desequilíbrio e chegou a ficar com apenas um pé no aparelho, mas evitou a queda. Assim como a apresentação, a nota de 14,133 não foi de encher os olhos. Na sequência, Jade Barbosa falhou logo na entrada no aparelho, quando perdeu o equilíbrio e foi ao chão. O passo grande na saída também prejudicou a pontuação de 13,033.

Flavinha foi a mais consistente das brasileiras, mas cometeu algumas falhas e computou 14,833 para a equipe. Insatisfeita com a nota, a torcida na Arena Olímpica do Rio vaiou a avaliação dos árbitros. As três ginastas tiveram desempenho pior que na fase classificatória, no domingo. Assim, o resultado parcial colocou o Brasil apenas em sétimo lugar depois da primeira rotação.

Jade não se deixou abater e buscou se recuperar no solo, a apresentação recebeu a nota 14,266. Ao som de Beyoncé, Rebeca conseguiu animar o público. Uma queda no último salto, por sua vez, deu à ginasta a pior nota até aquele momento, apenas 12,966. Flavinha mais uma vez elevou o nível do trio brasileiro. Apesar de um escorregão na primeira aterrissagem, obteve 14,500. O desempenho empurrou o Brasil para oitavo e último lugar.

As donas da casa seguiram para o salto, no qual conseguiram um bom desempenho. Com 14,566 de pontuação, Lorrane Oliveira deu a sua contribuição para o grupo. Jade fez uma dupla pirueta e meia e totalizou 14,933. E Rebeca, mesmo com um grande passo na chegada, arrancou 15,400 - a maior nota entre as brasileiras nas quatro rotações. Jade teve a melhor execução, mas o salto de Rebeca tinha um grau de dificuldade maior. O Brasil ganhou duas posições e se colocou em sexto lugar.

As barras paralelas assimétricas foram o último desafio das brasileiras. Novamente a primeira a se apresentar, Lorrane cumpriu bem o seu papel e recebeu a nota 14,166. Jade, que falhou no evento-teste no aparelho, acertou mais uma vez a série e somou 14,391. O melhor desempenho ficou por conta de Rebeca Andrade, com 14,900. As anfitriãs conseguiram deixar o nervosismo de lado e evoluir durante as rotações, mas o desempenho irregular na trave e no solo comprometeram o resultado.