23°
Máx
12°
Min

Brasileiros, norte-americanos e franceses 'abrem' neste domingo a Vila Olímpica

De alguma forma, pode-se dizer que os Jogos Olímpicos do Rio-2016 começam neste domingo. Às 8 horas, os portões da Vila Olímpica abrem oficialmente para receber os primeiros atletas e membros de delegações que irão competir na Olimpíada. No pico da ocupação, ao fim da primeira semana de Jogos, mais de 17 mil deverão estar espalhados pelos 31 edifícios que compõem o complexo. Além de um lugar para descanso, todo esse contingente terá, segundo o Comitê Organizador, "um pouquinho do Rio de Janeiro".

Neste domingo, além do Brasil, parte das delegações de pelo menos mais 13 países, como Estados Unidos e França, chegarão à Vila Olímpica. A expectativa, no entanto, é de que a maioria dos atletas desembarque na cidade olímpica apenas na próxima semana, às vésperas da cerimônia de abertura.

O Comitê Rio-2016 não soube informar quantos atletas chegarão neste domingo. Como é comum, as delegações entram e saem da Vila Olímpica aos poucos e tudo o que elas precisam fazer é informar no momento do check-in quantas pessoas se hospedarão no local durante toda a Olimpíada. À exceção dos esportes coletivos, dificilmente um atleta permanece lá durante toda a competição, já que as diferentes modalidades começam e terminam as disputas em momentos diferentes. A natação, por exemplo, tem suas primeiras provas já no sábado, dia 6 de agosto, enquanto que o atletismo só terá a sua primeira disputa no dia 12.

Certo é que quem passar pela Vila Olímpica terá um pouco do gostinho de ser carioca. "A gente está trazendo um pouquinho do Rio para dentro da Vila. Haverá apresentações culturais, showzinhos, oficinas de samba e capoeira. Temos uma quadra de vôlei de praia também", explicou Mario Cilenti, diretor da Vila Olímpica e responsável por se relacionar com os Comitês Olímpicos dos países que participam dos Jogos.

A intenção é dar opções de lazer com a cara da cidade, ao mesmo tempo em que isso não atrapalhe na preparação dos atletas para a Olimpíada. "Eles ficam uma semana, 15 dias, o tempo todo treinando. Só saem da Vila para curtir a cidade depois que terminam de competir. Nesse período, a gente tenta mantê-los animados, aproveitando todos os serviços que teriam lá fora", disse Cilenti.

Os atletas encontrarão um complexo com 31 edifícios de 17 andares, todos de alto padrão, construídos pela iniciativa privada. No total, são 3.604 apartamentos, equipados com ar-condicionado e repelentes eletrônicos. Do lado de fora dos prédios e entre os muros da Vila, o que se vê é uma pequena cidade. "A Vila está preparada para que o atleta tenha de sair apenas para treinar e competir. Tem um pequeno centrinho com loja de conveniência, salão de beleza, correio, banco, policlínica, centro ecumênico, academia e área de lazer", explicou Mario Cilenti.

A estrutura conta com o apoio de 13 mil profissionais entre funcionários contratados, voluntários e integrantes da Força Nacional de Segurança. Próximo aos prédios, um refeitório do tamanho de três campos de futebol oferecerá comida variada 24 horas por dia. Tudo de graça para os participantes.