21°
Máx
17°
Min

Britânico conquista 3º ouro no ciclismo de pista no Rio-2016 e iguala recorde

(Foto: Divulgação/Brasil2016) - Britânico conquista 3º ouro no ciclismo de pista no Rio-2016
(Foto: Divulgação/Brasil2016)

O britânico Jason Kenny faturou nesta terça-feira o ouro na prova keirin do ciclismo de pista nos Jogos do Rio-2016 e se tornou o maior medalhista olímpico da história da Grã-Bretanha, ao lado de Chris Hoy, também do ciclismo. Os dois somam oito ouros no total.

A prata na disputa ficou com o holandês Matthijs Buchli e Azizulhasni Awang, da Malásia, garantiu o bronze. A prova realizada nesta terça-feira consiste em oito voltas no circuito de 250 metros.

Nas primeiras cinco voltas e meia, os atletas pedalam atrás de uma bicicleta motorizada até atingir os 45km/h. Após esse momento é dada a largada e os ciclistas aceleram em busca da medalha nas últimas duas voltas e meia. Na disputa desta terça-feira, no entanto, foram necessárias duas largadas.

Isso porque Kenny retardou demais seu ritmo, ficando muito atrás da "pace bike", atrapalhando também os que estavam atrás dele. Mas ninguém foi punido e na sequência a largada foi para valer e o britânico não vacilou.

Foi a terceira medalha de ouro dele nos Jogos do Rio. Ele já havia faturado a competição de velocidade por equipes e velocidade individual. Depois da última conquista, ele foi comemorar ao lado da noiva, a britânica Laura Trott, que um pouco mais cedo também havia faturado a medalha de ouro, na prova omnium. "Parece que estou vivendo um sonho. Era para estar cansado, mas parece que estou flutuando", comemorou Kenny.

Trott faturou sua segunda medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio. Quatro dias atrás, ela subiu no degrau mais alto do pódio ao vencer a prova de perseguição por equipes com direito a recorde olímpico. Em Londres-2012, Trott também havia conquistado outras duas medalhas de ouro.

Das seis provas que compõe a categoria omnium, a britânica venceu três: perseguição individual, eliminação e flying lap. Nas outras, terminou em segundo lugar na scratch e no contrarrelógio. Prott chegou na disputa por pontos, a última prova, com praticamente o ouro nas mãos e só administrou o resultado. A medalha de prata ficou com a norte-americana Sarah Hammer e o bronze foi para a belga Jolien D'hoore.

Ainda nesta terça-feira houve a disputa feminina por velocidade. A medalha de ouro ficou com a alemã Kristina Vogel, a prata foi para a britânica Rebecca James e o bronze terminou com a também britânica Katy Marchant.