21°
Máx
17°
Min

CAS dará veredicto sobre participação do atletismo russo no Rio até 21 de julho

A Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) anunciou nesta segunda-feira que usará um procedimento acelerado para ouvir o recurso da Rússia contra a proibição da participação do atletismo do país nos Jogos Olímpicos, revelando que um veredicto será emitido até 21 de julho.

O Comitê Olímpico Russo e a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) disseram no último domingo que o recurso da Rússia em nome de 68 atletas seria ouvido em 19 de julho na CAS.

"As partes concordaram em um procedimento acelerado que deverá ser concluído em 21 de julho de 2016 com a emissão da decisão final", disse a CAS em um comunicado divulgado nesta segunda-feira. Os Jogos Olímpicos do Rio vão começar em 5 de agosto, depois, portanto, do fim do caso nos tribunais esportivos.

O recurso se concentra em um questionamento sobre a definição de que os atletas de um país não podem competir internacionalmente se a sua federação está suspensa, como é o caso da Rússia. A ação, portanto, não busca cancelar a suspensão da federação russa.

A CAS disse que o recurso visa assegurar a participação olímpica para "qualquer atleta russo que não é atualmente objeto de qualquer período de inelegibilidade pela prática de uma violação das regras antidoping".

As autoridades russas disseram que a proibição imposta pela IAAF exclui injustamente os atletas que não tem ligação com casos de doping. A IAAF, no entanto, diz que todo o sistema russo foi corrompido pelo doping generalizado, e é impossível provar quem é limpo.

A chefe do departamento legal do comitê russo, Alexandra Brilliantova, disse que os 68 atletas abrangidos pelo recurso são de "reputação absolutamente impecável, não envolvidos em escândalos de doping, não vinculadas a determinados treinadores".

Brilliantova reconheceu que a lista tinha inicial tinha 69 atletas, sendo reduzida após Anna Chicherova, campeão olímpica do salto em altura em 2008, ser suspensa provisoriamente depois da sua amostra dos Jogos de 2008 dar positivo em uma nova análise.

A IAAF suspendeu a Rússia em novembro, após um relatório da Agência Mundial Antidoping (Wada) apontar a existência no país de um esquema de doping generalizado no atletismo, com apoio estatal. A punição foi confirmada em uma votação realizada no mês passado.

Depois, a IAAF aprovou uma nova regra que permite a russos competirem como "atletas neutros" na Olimpíada se eles conseguirem comprovar que estão baseados fora do país e são submetidos a exames antidoping avaliados por agências respeitadas. Mais de 80 russos solicitaram este procedimento.

A IAAF já aprovou a participação de uma atleta russa, a delatora Yulia Stepanova, cujo testemunho de casos de doping dentro da equipe russa, incluem gravações escondidas, que são consideradas uma parta importantes das provas contra a Rússia apontada pela investigação da Wada.

Stepanova deve voltar às competições internacionais na próxima quarta-feira, no Campeonato Europeu, em Amsterdã, participando da prova dos 800 metros como uma "atleta neutra", sem representar um país em particular.