21°
Máx
17°
Min

Catorze dos 31 novos casos de doping em Pequim-2008 são da Rússia

A especulação sobre a possibilidade de um forte impacto sobre a Rússia na descoberta de 31 novos casos de doping nos Jogos de Pequim, em 2008, não era à toa. Nesta terça-feira, o Comitê Olímpico da Rússia informou ter sido comunicado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) que 14 desses resultados positivos para substâncias proibidas são de atletas russos.

Quando a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) divulgou, na semana passada, que a reanálise de 454 exames identificou doping de 31 atletas, ela apenas informou que eles representavam 12 países, em seis modalidades esportivas. Não detalhou nomes ou nacionalidades.

Agora, a Rússia admite que quase metade desses casos são de seus atletas. A agência de notícias estatal russa TASS revelou um nome nesta terça-feira: Anna Chicherova, medalhista de bronze no salto em altura. O técnico pessoal dela, Yevgeny Zagorulko, admitiu que a saltadora foi informada do doping.

"Há três dias, ela recebeu o comunicado de que o exame feito na Olimpíada de Pequim deu resultado positivo após uma reanálise e então ela me ligou", contou o treinador. Chicherova é um dos grandes nomes do atletismo russo, campeã olímpica em Londres-2012 e medalhista de todos os cinco Mundiais realizados entre 2007 e 2011, tendo sido bronze em Pequim, no ano passado.

Chiverova, por enquanto, está fora dos Jogos Olímpicos do Rio, uma vez que todo o atletismo russo está suspenso exatamente por conta do doping sistêmico. Os novos casos, que devem ser nomeados nos próximos dias, após a análise das amostras B, devem reforçar a pressão contra a Rússia. A decisão da IAAF será tomada em 17 de junho.