23°
Máx
12°
Min

Com atletismo, Time Brasil chega a 460 atletas na Olimpíada

O Brasil vai ser representado por pelo menos 460 atletas nos Jogos Olímpicos do Rio. Modalidade com maior número de provas - e, consequentemente, maior delegação -, o atletismo anunciou no domingo sua convocação. Por enquanto, a lista tem 66 competidores, mas pode aumentar a partir de convites que venham ser oferecidos pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF). Vanessa Chefer, do heptatlo, é uma que muito provavelmente estará no Rio-2016.

Exceção a esses convites, que podem ser até cinco pelas contas da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), o Brasil tem apenas mais duas chances de aumentar a sua delegação no Rio.

Uma delas é no boxe. Cosme Nascimento começa na terça-feira sua campanha no último Pré-Olímpico, que está sendo disputado em Vargas, na Venezuela. Ele estreia contra Istvan Bernath, da Hungria, e precisa de três vitórias para ficar com o título e a vaga olímpica na categoria superpesado.

A outra possibilidade é no golfe, que vai distribuir suas vagas a partir do ranking mundial da próxima segunda-feira. No feminino, Victoria Lovelady hoje está com a 60.ª e última vaga, mas não compete mais. Ela fica na dependência dos resultados do US Open, um dos principais torneios da temporada. Miriam Nagl já está garantida.

No masculino, Adilson da Silva será o representante do Brasil no golfe. Lucas Lee ainda aparece fora da lista de espera, que tem cinco atletas, e depende de desistências de atletas de países sem tradição no golfe - e, consequentemente, sem reservas mais bem posicionados que ele.

No atletismo, a IAAF vai disponibilizar convites para completar a cota de 32 atletas por prova, mas somente naquelas que o número de inscritos não chegar a 32. A vagas serão distribuídas a partir do ranking mundial de 1.º de maio de 2015 a 11 de julho de 2016.

Mauro Vinicius da Silva, o Duda, ficou a 1cm do índice no salto em distância e é o 35.º desse ranking, contando já com descartes, mas considerando os dois atletas russos que fizeram índice. Pesa a favor dele o fato de que muitos países rejeitam convites, ou adotam critérios mais fortes que os mundiais (o que não garante que todos que têm índice estarão na Olimpíada). Por outro lado, o Campeonato Europeu ainda irá acontecer e pode engrossar a lista de índice.

Na mesma situação de Duda, com a possibilidade de convite, estão Jessica Alves dos Reis (a 1cm do índice no salto em distância, 36º do ranking de 2016 sem contar descartes) e Felipe dos Santos (41º no decatlo) e Laila Ferrer (27ª no dardo).