21°
Máx
17°
Min

Com medalhas do judô e de Uchimura, Japão sobe para 3º; EUA seguem na liderança

(Foto: Divulgação)  - Com medalhas do judô e de Uchimura, Japão sobe para 3º
(Foto: Divulgação)

A quarta-feira foi do Japão nos Jogos Olímpicos do Rio-2016. O país do Oriente foi soberano no judô e na ginástica artística e com as três medalhas de ouro do dia subiu, e muito, no quadro de medalhas, ultrapassando rivais como a Austrália, a Hungria e a Rússia. Agora é o terceiro colocado, somente atrás das potências Estados Unidos, ainda líder, e China.

Berço e maior força da atualidade no judô, o Japão teve 100% de aproveitamento neste dia de disputas. Na categoria até 70kg feminino, ouro para Haruka Tachimoto. Entre os homens, na categoria até 90kg, o vencedor foi Mashu Baker. Já na ginástica artística, o maior nome do esporte do país sofreu um pouco, mas faturou o título. No individual geral, Kohei Uchimura batalhou com o ucraniano Oleg Verniaiev e conseguiu o bi olímpico.

Na briga pela liderança do quadro de medalhas, tudo igual para Estados Unidos e China. Os norte-americanos conquistaram duas de ouro com o revezamento 4x200 metros livre feminino, na natação, e com Kristin Armstrong na prova do contrarrelógio individual feminino do ciclismo de estrada. Já os chineses responderam com as vitórias de Ning Ding no individual feminino do tênis de mesa e de Yanmei Xiang na categoria até 69kg do levantamento de peso.

Outro destaque desta quarta-feira foi o Casaquistão. Em um intervalo de duas horas, o país asiático conquistou duas medalhas de ouro, as primeiras no Rio-2016. Com recorde mundial, Nijat Rahimov ganhou a categoria até 77 kg do levantamento de peso. Pouco tempo depois, Dmitriy Balandin chegou na frente na prova dos 200 metros peito da natação.

Em mais um dia sem medalhas, o Brasil caiu no quadro de medalhas. De 14.º, foi para o 17.º lugar, bem longe da meta do Comitê Olímpico (COB) de terminar a Olimpíada no Top 10. Tem até agora um ouro (Rafaela Silva, no judô) e uma prata (Felipe Wu, no tiro esportivo).

Até agora, 51 países já ganharam ao menos uma medalha no Rio-2016. As novidades do dia foram Eslováquia, República Checa, Tunísia e Fehaid Aldeehani, do Kuwait, que competiu no Rio-2016 como independente, já que o país está suspenso pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). Ele ganhou o ouro na prova da fossa double masculino do tiro esportivo.