20°
Máx
14°
Min

Com Zanetti, Brasil vai a seis finais na ginástica masculina

(Foto: Agência Brasil) - Com Zanetti, Brasil vai a seis finais na ginástica masculina
(Foto: Agência Brasil)

O 6º lugar garantiu a classificação histórica da seleção brasileira masculina de ginástica artística à final por equipes nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. China, Estados Unidos, Rússia, Japão e Grã-Bretanha aparecem à frente do Brasil, enquanto Ucrânia e Alemanha completam o grupo dos finalistas. O País ainda garantiu neste sábado dois ginastas na final do individual geral e mais quatro na disputa por aparelhos, quebrando outro recorde importante.

Em Pequim-2008, as meninas do Brasil chegaram a cinco decisões: equipes, individual geral (com duas atletas), salto e solo. O melhor desempenho do masculino, por sua vez, havia sido em Londres-2012, com argolas e individual geral. No Rio, já são seis finais apenas no primeiro dia de competição.

Sérgio Sasaki, em 8º lugar, e Arthur Nory Mariano, na 11ª posição, estão entre os 24 ginastas mais completos do mundo e, na próxima quarta-feira, terão a chance de brigar pela medalha. O Brasil só não colocou Francisco Barretto Júnior (18º) no grupo porque cada país só pode ter dois representantes em cada final. Mas Chico terá a oportunidade de surpreender na barra fixa. A nota 15,266 rendeu ao ginasta a quinta posição na classificatória.

A restrição ajudou Nory a entrar na briga por medalha no solo. Com o 9º lugar, ele substituiu o japonês Yusuke Tanaka (8º). A classificação mais emocionante do dia também veio no solo, com Diego Hypolito. Em sua terceira Olimpíada, o ginasta somou 15,500 e garantiu a 4ª posição. A nota seria suficiente para lhe dar a medalha de bronze no Mundial de Glasgow, em 2015. O bom desempenho fez Hypolito cair no choro e até classificar o dia como um dos cinco momentos mais felizes de sua carreira.

Campeão olímpico nas argolas em Londres-2012, Arthur Zanetti avançou à final apenas na 5ª posição. Na primeira subdivisão da preliminar, o brasileiro recebeu 15,333 dos árbitros e viu o grego Eleftherios Petrounias, com 15,833, assumir a liderança provisoriamente. Além do atual campeão mundial, outros grandes rivais ainda estavam por vir.

O chinês Yang Liu, campeão mundial nas argolas em 2014, somou a nota mais alta do dia: 15,900. A China ainda teve o brilho de Hao You, com 15,800. O russo Denis Abliazin (15,633) entrou no páreo e também superou Zanetti na pontuação. O francês Samir Ait Said repetiu a pontuação do brasileiro, mas acabou fora da disputa depois de uma grave fratura na perna esquerda no salto.