28°
Máx
17°
Min

Companheiros e Micale exaltam atuação de Neymar na vitória do Brasil

(Foto: Confederação Brasileira de Futebol) - Companheiros e Micale exaltam atuação de Neymar na vitória do Brasil
(Foto: Confederação Brasileira de Futebol)

Neymar fez gol, seu primeiro na Olimpíada, suportou bem a caça de que foi vítima durante todo o tempo - em alguns momentos discutiu com os adversários e num lance ao fim do primeiro tempo deu um pontapé em um deles que poderia ter lhe custado um cartão vermelho -, usou da malandragem para pendurar alguns rivais com cartões amarelos. Mas também fez ótimas jogadas, foi participativo, solidário, enfim jogou um futebol de alto nível e foi protagonista da vitória por 2 a 0 sobre a Colômbia que levou o Brasil às semifinais da Olimpíada no último sábado.

Assim como acontecera na partida anterior contra a Dinamarca, Neymar assumiu o papel que dele sempre se espera: foi o líder dentro de campo. E desta vez, o capitão terminou o jogo feliz, algo que não ocorrera no duelo com os colombianos na Copa de 2014, quando sofreu a grave fratura em uma vértebra, nem na Copa América de 2015, quando acabaria suspenso por quatro partidas pela confusão em que se meteu após o fim do jogo.

Em ambas as partidas, principalmente na disputada na competição sul-americana no Chile, Neymar foi alvo da violência dos colombianos. O que mudou, então? Segundo seus atuais companheiros, ele está mais experiente. "O Neymar ajudou bastante a segurar o jogo. Isso foi importante quando a partida estava truncada", disse Gabriel Jesus. "Ajudou como nos outros jogos, mostrou que o futebol dele é importante para o time, sim", declarou.

Outro atacante da seleção, Luan, também destacou a atuação de Neymar, e lembrou o esforço que ele fez para se recuperar do entorse no tornozelo direito e jogar contra os colombianos. "Todos sabem da importância dele. É um cara que ajuda muito e fez de tudo para estar em campo", disse.

Já o técnico Rogério Micale, entusiasmado defensor de Neymar, destacou o equilíbrio do jogador diante da caça dos colombianos. "O Neymar deu uma resposta muito positiva em termos de equilíbrio. Nós somos seres humanos. Ele chegou mais firme (no lance em que chutou Roa), assim como estavam chegando nele, mas, depois desse momento, em nenhum outro ele perdeu o equilíbrio."