21°
Máx
17°
Min

Condutores da Tocha Olímpica: Bianca Baldini

Segundo Bianca, não basta ter apenas boas intenções, é preciso ter atitude e sede de mudar o mundo (Foto: Divulgação) - Condutores da Tocha Olímpica: Bianca Baldini
Segundo Bianca, não basta ter apenas boas intenções, é preciso ter atitude e sede de mudar o mundo (Foto: Divulgação)

Bianca Baldini, presidente da ONG “Um Lugar ao Sol”, é uma pessoa que enxerga amor em tudo, ainda mais quando se fala em criança. Desde 2003 ela reúne seu grupo de amigos para arrancar sorrisos dos baixinhos, seja com um brinquedo, ou até um simples abraço.

A iniciativa deu tão certo, que o projeto se expandiu e virou semanal, agora não mais apenas com crianças, mas também, adolescentes de baixa renda. “Aquela atitude me deixou tão feliz e completa, que eu nunca mais parei”, afirma Bianca.

Em 2012, como a própria Bianca contou em entrevista para a Equipe de Reportagem do Massa News, ela iniciou um projeto chamado “Jovens Sementes” apenas com a cara e a coragem. Foi aí que tudo decolou. O projeto ganhou forças e vários voluntários se juntaram a ela para aplicar reforço escolar e ajudar a resgatar os valores destes jovens e adolescentes.

Segundo Bianca, não basta ter apenas boas intenções, é preciso ter atitude e sede de mudar o mundo. “Resolvi ensinar crianças com os valores que também me ensinaram a querer fazer um mundo melhor. Valores que mudam o destino de uma criança em seguir para o bom e o mau caminho, ou ainda, se tornar alguém que também tenha atitude e que possam um dia continuar o meu trabalho”.

Além de ser a “faz tudo” dentro da ONG, Bianca ainda é casada e tem uma rotina puxada. Ela recruta voluntários para o projeto, faz a distribuição das arrecadações, cuida da parte financeira e ainda, se disponibiliza a dar aulas para os jovens. Atualmente, 40 crianças fazem parte do projeto, e ainda existe uma fila de espera de interessados a participar.

Como uma das condutoras da Tocha Olímpica em Curitiba, Bianca sente-se lisonjeada em ser uma das escolhidas para representar as pessoas que fazem a diferença, assim como ela. “Respeito e solidariedade mudam o mundo, e é isso que eu tenho tentado fazer”, finaliza.