27°
Máx
13°
Min

Cristiano Felício é convocado para o lugar de Anderson Varejão

Foto: Divulgação  - Cristiano Felício é convocado para o lugar de Anderson Varejão
Foto: Divulgação

O técnico da seleção brasileira masculina de basquete, Rubén Magnano, convocou nesta quarta-feira (dia 26) o pivô Cristiano Felício, do Chicago Bulls, para o lugar do ala/pivô Anderson Varejão, do Golden State Warriors, nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Anderson foi submetido a exames de imagem nos Estados Unidos nos últimos dois dias e avaliado pelo médico Robert Watkins, em Marina Del Rey, na Califórnia. Os resultados indicaram a existência de uma hérnia de disco na lombar, lesão que tira o capixaba das Olimpíadas.

Vice-campeão da NBA pelo Golden State Warriors, Varejão começou a reclamar de fortes dores nas costas após a realização de testes físicos. Medicado e recebendo tratamento intensivo, o ala/pivô passou a seguir uma programação diferenciada de treinos. Como o quadro não apresentou evolução e as dores passaram a ser insuportáveis, Anderson Varejão embarcou para os Estados Unidos no domingo passado(dia 24), a pedido de sua equipe - e com autorização da CBB -, para ser submetido a novos exames e avaliado por especialistas.

"É frustrante. Triste. Ainda não estou querendo acreditar nisso. Disputar as Olimpíadas no meu país, com a minha família, meus amigos, o público brasileiro. Isso nunca mais vai acontecer. Parece um pesadelo. Faltam menos de dez dias para os Jogos e sonhei muito com esse momento, a ansiedade era grande, o frio na barriga. Estava feliz. Desde que anunciaram que as Olimpíadas seriam no Brasil, não conseguia pensar em outra coisa, mesmo durante a temporada, era impossível não imaginar, não lembrar. Infelizmente, por causa de uma lesão, vou ficar fora. É difícil demais aceitar isso", afirmou ele, que foi avaliado ainda por outros dois médicos.

Sobre o futuro, Anderson diz que "faz questão de estar junto" dos companheiros.

"Ainda não sei como vai ser. Não parei para pensar. Quero agradecer a todo mundo que mandou mensagens de apoio, de carinho, pelas ligações, muitos eu nem consegui responder ainda. É um momento de muita tristeza. Tentei de tudo, busquei diferentes opiniões de médicos, na esperança de escutar algo diferente. Tenho que ouvir o que eles me recomendaram. O mais importante é a minha saúde, preciso entender essa situação e ficar fora das Olimpíadas. Mas faço questão de estar junto, perto dos meus companheiros, passar experiência, vibrar junto, acompanhar os Jogos, estar junto com a seleção brasileira. É um momento especial para o nosso país, uma vontade que tenho, seria a minha contribuição, seria uma maneira de participar de algo com o qual sonhei por tantos anos".

Fonte: Confederação Brasileira de Basquete