21°
Máx
17°
Min

Diego Hypolito exalta voto de confiança dado pelo técnico de Zanetti

(Foto: Divulgação/CBG) - Diego Hypolito exalta voto de confiança dado pelo técnico de Zanetti
(Foto: Divulgação/CBG)


Com brilho, Diego Hypolito estreou nos Jogos Olímpicos do Rio e ficou muito próximo da vaga na final olímpica no solo. O bom desempenho do ginasta brasileiro veio acompanhado de emoção, de lágrimas e de gratidão. Satisfeito, o atleta disse que ficou de "alma lavada" neste sábado após um período de incerteza se poderia representar o Brasil em mais uma Olimpíada, a sua terceira.

Para Hypolito, o voto de confiança dado por Marcos Goto - treinador que ele diz tratar agora como rei - e pelo companheiro de seleção Arthur Zanetti foi decisivo na reta final de sua preparação olímpica. "Nunca me senti tão amparado e tão blindado como agora pelo Marcos. Me encheu de orgulho ele falar: 'Eu confio em você'".

O sentimento tornou-se ainda mais intenso após uma acirrada disputa por uma vaga na equipe brasileira. Com a decisão de incluir Diego Hypolito no grupo, a comissão técnica adotou a estratégia de priorizar finais e não o resultado coletivo. Isso porque três aparelhos - barras paralelas, barra fixa e cavalo com alças - ficariam sem nota de descarte na disputa por equipes.

"Eu tinha praticamente certeza de que não ia competir a Olimpíada, quando os técnicos falaram que eu ia, foi uma emoção muito grande. A partir daquele momento eu tive de enfrentar minha decisão de estar aqui". E o trabalho com o novo treinador exigiu sacrifícios. O especialista no solo e nos saltos passou a treinar com Marcos Goto depois que Fernando Carvalho foi afastado devido a uma acusação de abuso sexual.

Na nova rotina, Hypolito precisou evitar as redes sociais e os holofotes. Para ele, o resultado deste sábado foi a sua recompensa. "Tive fé de que eu poderia chegar lá se trabalhasse da maneira adequada, sumi de rede social, sumi de entrevista porque eu queria que fosse um momento único e foi único. Chorei muito, fiquei muito emocionado."

Outro momento importante para Hypolito foi uma conversa com Bernardinho, técnico da seleção masculina de vôlei, na Vila Olímpica. O incentivo recebido naquele momento impulsionou o ginasta a querer ir ainda mais longe. Ele coloca sua apresentação na classificatória dos Jogos Olímpicos do Rio como um dos cinco momentos mais felizes de toda a sua carreira.

Com a nota 15,500 no solo, Diego Hypolito superou o bicampeão mundial Kenzo Shirai, do Japão, na fase preliminar dos Jogos. Ele só ficou atrás do japonês Kohei Uchimura, que registrou 15,533. Aos 30 anos, o brasileiro parece pronto para conquistar a sua primeira medalha olímpica. Ele terá de esperar até o fim do dia para saber se realmente será finalista entre os oito melhores ginastas no solo.