22°
Máx
14°
Min

Dificuldade serviu para mostrar que nossa dupla está forte, diz Talita

(Foto: Divulgação/Time Brasil)  - Dificuldade serviu para mostrar que nossa dupla está forte, diz Talita
(Foto: Divulgação/Time Brasil)

Larissa e Talita passaram no teste mais difícil enfrentado até agora na Olimpíada do Rio de Janeiro. A dupla precisou mostrar poder de superação neste domingo para bater as suíças Heidrich e Zumkehr, de virada, por 2 sets a 1. Tiveram até que salvar três match points. Com a vaga garantida na semifinal, elas valorizaram a dura vitória.

"Fomos até o fim brigando por cada bola, buscando cada defesa, não nos entregando nunca. As suíças mostraram que são fortes, fizeram um jogo muito bom. A dificuldade serviu para mostrar que nosso time está muito forte", disse Talita, que deixou a Arena do Vôlei de Praia, em Copacabana, com cãibras.

Larissa resumiu a partida em apenas uma palavra: paciência. "Se eu tivesse uma palavra para hoje, seria paciência. Em quadra, eu disse o tempo todo que a gente ia conseguir, e conseguiu. Um jogo difícil como este nos fortalece, que faz a gente ter atenção nos detalhes. A gente sabia que a dificuldade ia aparecer. Ninguém ia ganhar todos os jogos de 2 sets a 0", ponderou.

O desempenho de Larissa ganhou até homenagem nas arquibancadas. Na arena, um torcedor exibia o cartaz "Larissa é melhor que Neymar". "Vi (o cartaz). Fico sem palavras, né? É demais. Gerar essa expectativa, essa confiança nas pessoas é incrível. A ficha pra mim nem cai. Eu não acho isso não, mas vou tentar o meu melhor sempre", disse Larissa. Não é a primeira vez na Olimpíada que o craque do Barcelona é comparado a uma atleta brasileira. Primeiro foi Marta, agora Larissa.

Depois de uma campanha invicta na primeira fase, as brasileiras causaram momentos de apreensão no público. Na partida anterior Larissa havia dito que seria bom vencer as partidas sempre por 2 a 0, para não matar os parentes do coração. Dessa vez, entretanto, o coração da torcida quase saiu pela boca em vários momentos.

"Tá vendo, você ficaram tanto pedindo emoção? (risos). Esse está entre os jogos mais difíceis, mas já tive um contra a (Kerri) Walsh que está no 'Guiness Book'. Foi de 1h40min, foi 40/42, 36/34 e 15/13, um jogo incrível", lembrou Larissa. O jogo aconteceu no Circuito Mundial de 2005, em Acapulco, México.