21°
Máx
17°
Min

Dream Team avança à semifinal e aposenta geração de ouro da Argentina

(Foto: Divulgação/Fiba) - Dream Team avança à semifinal e aposenta geração de ouro da Argentina
(Foto: Divulgação/Fiba)

Chegou ao fim nesta quarta-feira um dos capítulos mais bonitos da história do basquete. Enquanto o Dream Team levou os Estados Unidos a mais uma semifinal dos Jogos Olímpicos, a Argentina, derrotada por 105 a 78 na Arena Carioca 1, chorou o desfecho triste de uma geração que tantas alegrias trouxe ao país. Nas arquibancadas, argentinos que tinham ingressos para diversos setores diferentes se juntaram para criar uma verdadeira torcida organizada. Na derrota, chorando, mas feliz e orgulhosa.

Eliminados nos Jogos do Rio, Manu Ginobili (39 anos), Luis Scola e Andres Nocioni (ambos de 36) encerraram uma carreira olímpica que ficou marcada pela histórica medalha de ouro obtida em Atenas, em 2004. Carlos Delfino, o outro remanescente daquele time, está prestes a fazer 34 anos e também não deve chegar aos Jogos de Tóquio, em 2020.

Eles se despedem de cabeça erguida, entretanto. Fizeram o que podiam contra o melhor time do mundo. Os Estados Unidos, como sempre acontece, estão nas semifinais. Em grandes competições, isso só não aconteceu em 2002, quando pela primeira vez um time americano com jogadores da NBA foi batido em um jogo oficial. Do outro lado estava exatamente a Argentina.

Desde então, os Estados Unidos passaram a se preocupar em ter a equipe mais forte possível nas grandes competições. Para os Jogos do Rio, tiveram convocações recusadas por astros como LeBron James, Stephen Curry, Russell Westbrook e LaMarcus Aldridge.

Ainda assim, sobrou gente do calibre de Kevin Durant (27 pontos), Paul George (17) e Kyrie Irving (11), além de Klay Thompson, que dessa vez foi discreto. Durant compensou, acertando sete de nove arremessos de três pontos. Comandado por ele, o Dream Team não deu nenhuma chance para os sul-americanos a partir do fim do primeiro quarto. Passaram à frente em 25 a 21 e, a partir daí, só abriram.

Pela Argentina, Scola, Ginobili e Nocioni até passaram dos 10 pontos, mas o banco não ajudou. Destaque apenas para Campazzo, ala titular do time, que fez 13 pontos e ainda deu 10 assistências. A torcida argentina, que compareceu em número bem inferior ao das últimas rodadas da fase de classificação, fez barulho até o fim, exaltando, como fazem os brasileiros, o orgulho de serem argentinos.

Classificados às semifinais, os EUA enfrentam a Espanha, em uma espécie de decisão antecipada. Mais cedo, os espanhóis fizeram 92 a 67 na França e aposentaram outro astro, o armador Tony Parker, que anunciou que não joga mais pela seleção.