27°
Máx
13°
Min

Embaixador do Iraque se junta à torcida por sua seleção no Mané Garrincha

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil) - Embaixador do Iraque se junta à torcida por sua seleção
(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O embaixador do Iraque no Brasil, Arshad Omar Esmaeel, acompanhou nesta quinta-feira o jogo da seleção iraquiana contra a Dinamarca, no Estádio Mané Garrincha, que terminou empatada em 0 a 0. Ele se juntou à torcida que, embora em número reduzido, faz mais barulho do que a dinamarquesa.

Esmaeel chegou ao Brasil não tem dois meses. Engenheiro, com especialização em mineração e petróleo, ele entregou suas credenciais para o presidente em exercício Michel Temer. Seu posto anterior foi a embaixada do Iraque no Afeganistão.

Os brasileiros que chegaram antecipadamente ao estádio para o jogo da seleção olímpica contra a África do Sul, marcado para as 16 horas, tomaram partido pela seleção iraquiana, do técnico Hayder Najem.

"Deve ser simpatia pelo sofrimento do nosso povo. Aqui no Brasil, vocês sofrem menos do que nós lá", afirmou o iraquiano Victor Palis, dono do restaurante Baghdad, em Copacabana, no Rio de Janeiro.

Ele afirmou que ficou emocionado em ver a seleção do Iraque jogar, depois de 20 anos. "Ainda mais no Brasil, país do futebol". Disse que não comprou ingresso para ver o jogo de domingo, quando a seleção brasileira enfrenta a iraquiana, porque ficaria "perdido" sem saber para quem torcer. "Independente do resultado, saio ganhando. Um é o país que nasci; o outro, o país que me adotou", afirmou.