21°
Máx
17°
Min

'Espião', Bruno Soares promete ajudar brasileiros na Olimpíada

(Foto: Divulgação)  - 'Espião', Bruno Soares promete ajudar brasileiros na Olimpíada
(Foto: Divulgação)

Os tenistas brasileiros já sabem o que virá pela frente na estreia nos Jogos Olímpicos. Nas duplas, Thomaz Bellucci e André Sá enfrentarão os irmãos britânicos Andy e Jamie Murray na primeira rodada. E os donos da casa contam com a ajuda de um espião: Bruno Soares. O duplista é parceiro de Jamie no circuito mundial e promete dar todas as dicas para ajudá-los.

"Já passei o dossiê completo para o André. E o André também conhece muito bem ele, no que eu puder ajudar, vou estar à disposição", disse Bruno. Em sua quarta Olimpíada da carreira, Sá reconhece que, mesmo em casa, o favoritismo está do outro lado da quadra. "A torcida vai empurrar e a gente tem de usar isso a nosso favor. A chave é difícil, o Andy está jogando o melhor tênis da carreira. Precisamos arriscar desde o começo", afirma.

O caminho começa aberto para Bruno Soares e Marcelo Melo, que largam na competição contra os gêmeos tailandeses Sanchai e Sonchat Ratiwatana. Candidata à medalha olímpica, a dupla quer impor as suas regras de jogo. "Não dá para reclamar do sorteio. Mas é uma dupla experiente, jogam juntos há muito tempo, não vão sentir pressão porque jogam Copa Davis, Grand Slam. Vamos tentar colocar nosso ritmo."

O equilíbrio deve marcar os duelos de simples. O alemão Dustin Brown é o primeiro rival de Thomaz Bellucci na Olimpíada. No único encontro entre eles, no Torneio de Gstaad, o tenista brasileiro levou a pior diante do 86º do mundo. E já pensa em uma maneira de evitar novo tropeço. "Ele é um pouco imprevisível, gosta de ir para a rede, vai tentar encurtar os pontos, não vai me deixar confortável. É um jogo que tenho de estar concentrado o tempo inteiro", projeta.

Número 1 do Brasil, Bellucci promete uma postura vibrante. O tenista está envolvido em um trabalho de "inteligência emocional" e quer se aproximar do público. "Quero ativar de uma maneira que eles se sintam parte do jogo, demonstrar que a força deles é importante para mim dentro de quadra."

O vencedor da partida entre Rogério Dutra Silva e o italiano Thomas Fabbiano também é difícil de prever. E o brasileiro quer aproveitar a chance de ter escapado dos favoritos na estreia. "Jogo bom para dois lados, não pegamos os cabeças de chave. Será bom para tentar colocar minha intensidade desde o começo", afirma Rogerinho.

O sonho deve durar pouco para as brasileiras Teliana Pereira e Paula Gonçalves nas duplas. Contra as espanholas Garbiñe Muguruza e Carla Suárez Navarro, as tenistas querem aproveitar a experiência olímpica. "Pagamos a dupla cabeça de chave número 4, será um jogo bem duro. Vamos deixar nosso coração em quadra, nada é impossível. Estamos ensaiando jogadas que podem funcionar, a gente não tem nada a perder", diz Paula.

Na chave de simples, Teliana promete ir ao ataque contra a francesa Carolina Garcia (32ª do ranking da WTA) e vê a oportunidade de disputar a Olimpíada como "recompensa". "Vou precisar ser bastante sólida, ser mais agressiva que o normal. É um momento único, quero aproveitar." As datas e os horários das partidas ainda serão confirmados pela Federação Internacional de Tênis (ITF).