24°
Máx
17°
Min

Estados Unidos e Canadá defendem banimento da Rússia da Olimpíada por doping

Vazou neste sábado uma carta escrita pelas agências antidoping dos Estados Unidos e do Canadá clamando pela remoção da Rússia dos Jogos Olímpicos do Rio. O fato aconteceu às vésperas da divulgação de um relatório que pode revelar o escandaloso esquema de substâncias proibidas patrocinado pelo governo russo que teria corrompido todo o esporte no país.

A carta obtida pela agência de notícias The Associated Press (AP) deve ser mandada ao presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, após a revelação das investigações feitas por Richard McLaren.

"Nós concordamos e acreditamos que uma suspensão completa é o único resultado disponível e apropriado às descobertas e conclusões reveladas por este relatório", diz a carta.

Segundo a AP, as agências antidoping querem que o COI entre em ação até o próximo dia 26 para assegurar que o Comitê Olímpico Russo e as confederações esportivas não sejam aceitas no Rio, onde os Jogos começam no dia 5 de agosto. No entanto, a carta abre exceções para atletas nascidos na Rússia que possam provar que passaram por um forte sistema antidoping em outros países.

Após o vazamento, Pat Hickey, presidente do Comitê Olímpico Europeu, foi a público afirmar que a carta mina a integridade e, consequentemente, a credibilidade do relatório de McLaren. "Minha preocupação é que pareça que exista uma tentativa de concordar e achar uma punição antes mesmo que qualquer evidência fosse apresentada", comentou.

A investigação conduzida por McLaren foi provocada por uma reportagem do jornal New York Times que acusava o governo russo de ajudar na manipulação de testes antidoping nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, em 2014. De acordo com resultados preliminares da investigação, lançados no mês passado, o laboratório antidoping de Moscou foi influenciado pelo governo de 2011 até meados de 2013 por meio do Ministério do Esporte, que exigiu que "resultados adversos" fossem cobertos para não chegar à Agência Andidoping Mundial (Wada).

Baseada nesta informação, a carta ao COI antecipa que McLaren irá mostrar que o governo russo ajudou a organizar um esquema para minar os testes de drogas em atletas russos por muitos anos, em uma tentativa bem sucedida de trapacear para vencer.

A AP também teve acesso a uma carta escrita por Beckie Scott, chefe do comitê de atletas da Wada, pedindo que atletas endossem o pedido das agencias norte-americana e canadense.

O atletismo da Rússia já está banido dos Jogos Olímpicos pela Associação Internacional das Federações de Atletismo, após uma investigação separada revelar evidências de ajuda estatal para o esquema de substâncias proibidas para beneficiar os atletas do país. A Corte Arbitral do Esporte vai julgar no próximo dia 21 a elegibilidade de 68 atletas que apelaram para competir no Rio.