22°
Máx
16°
Min

Esvaziado politicamente, encerramento tem vaia a Paes e show de premier japonês

(Foto: Agência Brasil) - Encerramento tem vaia a Paes e show de premier japonês
(Foto: Agência Brasil)

A cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro viu políticos brasileiros sendo colocados em segundo plano pelos organizadores para evitar vaias. Mas um show do chefe de governo do Japão, que assumiu o papel de um personagem, na noite deste domingo, no Maracanã.

Michel Temer, presidente interino, não foi ao Maracanã e as vaias acabaram ficando todas com Eduardo Paes, prefeito do Rio. Temer foi representado por Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados.

Os políticos brasileiros apenas se levantaram ao final do evento, quando o samba tomou conta do Maracanã. Com o dedo indicador para cima, a cúpula militar e ministros como Alexandre de Moraes (Justiça) e Raul Jungmann (Defesa) dançavam e se abraçavam, enquanto confete caía e os alto-falantes tocavam "me dá um dinheiro aí" e outros enredos.

Quem não evitou o público foi o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe. Ao apresentar Tóquio ao mundo, os organizadores fizeram o personagem "Super Mario" viajar virtualmente do Japão ao Rio, por um encanamento passando pelo meio do planeta. Do outro lado, no Maracanã, quem assumiu o papel do personagem foi Abe, sobre um tubo gigante e aplaudido pelo público. Sua chegada simbolizava o Japão como sede dos próximos Jogos.

Esvaziado na arquibancada e nos camarotes políticos, a festa de encerramento contou com apenas oito chefes de estado ou de governo, dos quais pelo menos três eram membros do COI e obrigados a estar na festa.