20°
Máx
14°
Min

EUA ganham mais medalhas que em 2012 e 'vencem' Rio-2016; Grã-Bretanha surpreende

(Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil) - EUA ganham mais medalhas que em 2012 e 'vencem' Rio-2016
(Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil)

Os Jogos Olímpicos do Rio-2016 terminaram neste domingo com uma certeza e uma surpresa. Como já era esperado, os Estados Unidos mostraram todo o seu poderio esportivo e conquistaram o "título" da competição com uma campanha superior à realizada quatro anos atrás, em Londres. E foram justamente os anfitriões da Olimpíada de 2016 que surpreenderam no Brasil.

Com vitória no primeiro evento - no sábado, dia 6, no tiro esportivo com Virginia Thrasher - e no último - neste domingo, dia 21, com o basquete masculino -, os Estados Unidos mostraram quem manda no cenário esportivo mundial. Foram ao todo 121 medalhas, com um número superior ao de Londres-2012, quando faturaram 103 lugares no pódio. A quantidade de ouros foi a mesma (46), mas foram as pratas (37 contra 28) e os bronzes (38 contra 29) que fizeram a diferença para cima.

A segunda colocação no Rio ficou com a grata surpresa chamada Grã-Bretanha. Surpresa não pelo fato de ter feito uma grande campanha com 27 medalhas de ouro, 23 de prata e 17 de bronze, sendo 67 no total. Mas sim por ter ficado na frente da China na classificação geral - coisa impensada há oito anos, quando os britânicos iniciaram um trabalho de desenvolvimento no esporte por causa da Olimpíada em casa, em 2012.

Os chineses, que nas últimas duas edições olímpicas tentava tirar os Estados Unidos do trono, desta vez caiu, e muito, de produção. De 88 medalhas conquistadas em Londres, o país asiático perdeu força e "só" conquistou 70 no Rio. As vitórias no Brasil foram 26 contra 38 em 2012, que haviam garantido o segundo lugar com folgas no quadro de medalhas há quatro anos.

Outro fato interessante do Rio-2016 foi o desempenho da Rússia. Mesmo com mais de 100 atletas cortados de última hora por causa do escândalo de doping pelo qual o país passou, os russos conseguiram se manter na quarta colocação geral com uma diferença até que pequena de medalhas da última Olimpíada para esta. No Rio foram 19 de ouro, 18 de prata e outras 19 de bronze contra 24 douradas, 25 prateadas e 32 bronzeadas em Londres.

Para completar o Top 10, a Alemanha ficou com o quinto lugar com uma campanha melhor que a de 2012, o Japão terminou em sexto antes de ser sede dos próximos Jogos e a França conseguiu o sétimo posto, sendo seguida por Coreia do Sul, Itália e Austrália.

Já o Brasil não conseguiu chegar na meta estipulada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) de ganhar de 25 a 27 medalhas e, assim, estar no Top 10. O País fez sua melhor campanha na história com 7 de ouro, 6 de prata e 6 de bronze, mas ficou com a 13.ª colocação. Pelo menos foi o segundo melhor das Américas, logicamente atrás dos Estados Unidos, mas à frente de Canadá e Cuba, outras forças do continente americano.

Das 205 delegações presentes no Rio-2016 - mais o time de refugiados e os independentes, que participaram sob a bandeira do Comitê Olímpico Internacional (COI) -, 87 conquistaram ao menos uma medalha. Alguns deles fizeram história com a primeira conquista olímpica, seja de ouro, prata ou bronze. Alguns casos foram Kosovo, Jordânia e Fiji, que ganharam a sua primeira sendo logo a dourada.