22°
Máx
14°
Min

Evandro e Pedro Solberg admitem erros e desejam sorte a outras duplas do Brasil

(Foto: Rio 2016) - Evandro e Pedro Solberg admitem erros e desejam sorte a outras duplas
(Foto: Rio 2016)

Os brasileiros Evandro e Pedro Solberg admitiram "erros grosseiros" no jogo que eliminou a dupla dos Jogos Olímpicos do Rio, neste sábado, contra os russos Liamin/Barsuk. Juntos desde 2014, os dois afirmam que a parceria continua apesar da derrota em sua primeira Olimpíada. Ao sair da partida, Evandro pediu desculpas à torcida e desejou boa sorte às três duplas brasileiras que seguem na competição: Larissa/Talita, Alison/Bruno Schmidt e Ágatha/Bárbara Seixas.

"Foi uma experiência maravilhosa jogar em casa, com essa torcida linda. As lições que eu tiro, o tempo vai dizer, mas vivenciar isso aqui foi muito importante", disse Pedro Solberg. "Não tem uma escala pra te dizer, mas dói muito", afirmou.

O jogador atribuiu a derrota a muitas falhas na finalização de ataques de sua parte. Já Evandro afirmou que a dupla cometeu "erros grosseiros", como em um furo seu em uma levantada de bola e vários saques - justamente o fundamento em que é considerado o melhor do mundo - perdidos. Os jogadores russos aproveitaram os vacilos dos rivais. "Os brasileiros erraram muito, especialmente no segundo e terceiro sets, e nós jogamos de forma mais limpa, com melhor saque", disse Barsuk.

Embora tenha admitido que os russos "tiveram mais cabeça para ganhar", Evandro negou que o fator emocional tenha sido decisivo para a eliminação. Os brasileiros tiveram três derrotas e uma vitória, sempre encerrados no tie-break. A classificação veio após uma vitória apertada sobre os letões Samoilovs/Smedins, pelo critério de desempate no Grupo D.

Em vários momentos os dois afirmaram estar com a corda do pescoço, mas que acreditavam que poderiam seguir em frente na competição. "Não pesou o psicológico. Estávamos muito bem de cabeça, preparados. Tecnicamente também", disse Evandro. "A gente sai de cabeça erguida porque a gente não desistiu em nem um minuto. Em nenhum momento a gente deixou de acreditar que a gente poderia trazer uma medalha", afirmou.