21°
Máx
17°
Min

Fiji é campeã no rúgbi e conquista sua primeira medalha na história

(Foto: Divulgação/Rio2016) - Fiji é campeã no rúgbi e conquista sua primeira medalha na história
(Foto: Divulgação/Rio2016)

Fiji precisou esperar 60 anos até ganhar sua primeira medalha olímpica. Ela veio dourada e para colocar o nome do país formado por cerca de 330 ilhas na história dos Jogos Olímpicos. Afinal, o ouro conquistado por Fiji nesta quinta-feira no Estádio de Deodoro, no Rio de Janeiro, foi o primeiro entregue a uma equipe masculina de rúgbi sevens na história da Olimpíada.

O feito é histórico para Fiji, mas também para o esporte de forma geral. O rúgbi é um dos esportes mais populares do planeta e seu Campeonato Mundial é o terceiro evento esportivo com maior audiência global, só atrás da Olimpíada de Verão e da Copa do Mundo de futebol.

Mesmo assim, o rúgbi não era um esporte olímpico desde 1924. O retorno ao programa foi no formato sevens, com partidas dinâmicas de times com sete atletas. A torcida apaixonada pela modalidade não se importou. Fez do Parque Olímpico de Deodoro um local de festa nos últimos três dias, com torcedores fantasiados de Lego, princesas, super-heróis e até pinguins.

A chance de uma medalha para Fiji fez centenas de torcedores de lá passarem o dia dentro do Estádio de Deodoro, saindo apenas para renovar o ingresso para cada sessão. O esforço valeu a pena.

Fiji sobrou como melhor time da competição. Venceu Brasil (40 a 12), Argentina (21 a 14) e Estados Unidos (24 a 19) na fase de grupos. Nos mata-matas, fez 12 a 7 nos All-Blacks da Nova Zelândia, na única partida em que não tiveram a torcida brasileira em peso. Na semifinal, também nesta quinta, 20 a 5 no Japão.

A final foi contra a Grã-Bretanha, time formado principalmente por jogadores da Inglaterra, com reforços da Escócia, do País de Gales e da Irlanda do Norte. Os britânicos nem fizeram cócegas nos fijianos. Perderam por 43 a 7, depois de irem para o intervalo levando de 29 a 0.

O bronze ficou com a África do Sul, que não teve trabalho para ganhar do Japão, por 54 a 14, mais cedo. Mais interessante foi o duelo pelo quinto lugar, em que a Nova Zelândia venceu a Argentina. Havia centenas de torcedores dos dois times em Deodoro. O Brasil perdeu do Quênia e ficou no 12º e último lugar.