23°
Máx
12°
Min

Final dos 100m livre feminino termina empatado entre norte-americana e canadense

AFP / CHRISTOPHE SIMON - Americana e canadense empatam na final dos 100m livre
AFP / CHRISTOPHE SIMON

O pódio da cerimônia da prova dos 100 metros livre dos Jogos Olímpicos do Rio, nesta quinta-feira, no estádio Aquático Olímpico, contou com duas atletas no lugar mais alto, teve dois hinos e duas bandeiras como primeiro lugar, uma em cima da outra. Tudo porque nesta prova de velocidade da natação, duas atletas terminaram com a mesma marca. Primeiro, o sistema de som tocou o hino dos Estados Unidos e depois do Canadá.

Como duas nadadoras fizeram tempos iguais na prova, ambas ficaram com a medalha de ouro. A norte-americana Simone Manuel e a canadense Penny Oleksiak nadaram a distância em 52s70 e chegaram ao lugar mais alto do pódio. O bronze ficou com a sueca Sarah Sjostrom. E ninguém levou a prata.

A vitória de Simone Manuel também é histórica porque ela se torna a primeira atleta afro-americana a ser campeã olímpica na natação. “Eu não encontro palavras para descrever como estou me sentindo, mas estou realmente eufórica”, afirmou a garota, que completou 20 anos pouco antes da Olimpíada começar. Ela também conquistou uma prata no revezamento 4x100 metros livre dos Estados Unidos.

O mais curioso é que no momento que houve a chegada da prova, as duas atletas olharam para o placar eletrônico, no alto do estádio Aquático, e comemoram. Em um primeiro momento, não perceberam que havia sido empate. Mas depois que a ficha caiu, elas festejaram ainda mais e se abraçaram na piscina.

Não é comum as provas de natação terminarem em empate, até porque o sistema de cronometragem conta com grande precisão que marca os centésimos. Tudo é feito eletronicamente e por isso, quando o placar mostrou resultados iguais de tempo, não havia dúvida de que era um empate.