22°
Máx
17°
Min

"Fora, Temer" x "Temer, Temer" divide a torcida em jogo no Mané Garrincha

(Foto: Beto Barata/PR) - "Fora, Temer" x "Temer, Temer" divide a torcida no Mané Garrincha
(Foto: Beto Barata/PR)


No dia em que o Senado decide se a presidente afastada Dilma Rousseff se tornará ré no processo de impeachment, a torcida que acompanhou o confronto entre Alemanha e Canadá pela terceira rodada do futebol feminino, no Mané Garrincha, se dividiu entre o coro "Fora, Temer" e gritos do nome do presidente em exercício Michel Temer.

Tanto as manifestações contrárias como as favoráveis ao presidente em exercício foram seguidas de vaias. Torcedores aproveitaram a decisão judicial que liberou manifestações políticas durante a Olimpíada para exibiram cartazes "Fora, Temer" e "Temer jamais".

O Comitê Olímpico Internacional (COI) e o Comitê Rio-2016 afirmaram que vão recorrer da decisão da Justiça, tomada depois que alguns torcedores foram retirados das arenas por exibirem os cartazes. Enquanto isso, vão respeitar a decisão.

Na cerimônia de abertura, Temer não escapou das vaias do público, mesmo não tendo sido anunciado em nenhum momento, mesmo quando estava previsto no roteiro oficial. No entanto, quando ele declarou os Jogos abertos, o público vaiou.

O estudante Aruanã Jozefo Cardoso veio ao estádio com uma camiseta da seleção brasileira com a palavra "luto" no lugar do nome do jogador. De acordo com ele, o "luto" refere-se à situação política atual e não ao momento da seleção brasileira masculina, que não conseguiu sair do empate, sem gols, contra África do Sul e Iraque, nos dois jogos no Mané Garrincha.

"Devemos aproveitar a Olimpíada para mostrar ao mundo o que está acontecendo no Brasil. É muito bonito ver essa festa, mas o que acontece ao mesmo tempo aqui em Brasília é muito grave. É um desrespeito à democracia", afirma ele, um dos adeptos ao "Fora, Temer".

A vendedora ambulante Aline da Silva, que mora em Santo Antônio do Descoberto, cidade de Goiás no entorno de Brasília, disse que é muito difícil escolher entre o presidente exercício e a presidente afastada porque "os dois não estão preparados para governar o Brasil". "Como não tem jeito mesmo, é melhor deixar ele do que ela voltar", afirma.

Aline reclamou do baixo público nesta terça-feira no Mané Garincha. Ela conseguiu vender apenas 40 salgadinhos - cada um a R$ 8, sendo que a comissão é de R$ 1. No dia das partidas da seleção brasileira, teve ambulante que conseguiu vender 400 salgadinhos; ela, uns 250.

O JOGO - No jogo, a torcida brasileira também ficou dividida entre as seleções alemã e canadense, mas a maior apoiou as jogadoras do Canadá, que ganharam por 2 a 1. Os dois gols foram feitos pela atacante Melissa Tancredi.

As canadenses fecharam a primeira fase com 100% de aproveitamento, após vitórias diante das australianas (2 a 1) e das africanas (3 a 1). A campanha alemã começou com goleada por 6 a 1 sobre o Zimbábue na estreia e seguiu com empate por 2 a 2 com a Austrália. Mesmo com a derrota, a Alemanha está com vaga garantida para a próxima fase.

Resquício do 7 a 1 da Copa do Mundo, em 2014, torcedores gritaram "Faltam mais cinco!" para apoiar as canadenses. A técnica da seleção alemã, Silvia Neid, já afirmou que o placar da semifinal do Mundial influencia o comportamento da torcida brasileira e que ainda espera conquistar o público brasileiro.