27°
Máx
13°
Min

Grupo russo de hackers invade site da Wada e acusa atletas americanos de doping

Hackers russos invadiram um banco de dados da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) e publicaram, nesta terça-feira, os dados médicos confidenciais de alguns atletas norte-americanos.

A Wada declarou nesta terça-feira que o ataque, que visava alguns membros da equipe feminina dos Estados Unidos que competiu nos Jogos Olímpicos do Rio, foi realizado por um "grupo de espionagem cibernética russa" chamado Fancy Bears.

Os hackers revelaram registros de "utilização terapêutica" que permitem o consumo de substâncias que são proibidas desde que haja uma comprovada necessidade médica. Essas publicações incluiriam a ginasta Simone Biles e as tenistas Serena e Venus Williams.

Em um comunicado, a Wada relacionou os ciberataques com a divulgação dos relatórios de investigação que demonstraram a participação estatal em um esquema de doping na Rússia.

"Esses atos criminosos estão comprometendo muito o esforço da comunidade antidoping mundial para restabelecer a confiança na Rússia", disse o diretor-geral da Wada, Olivier Niggli, em um comunicado.

No mês passado, hackers obtiveram uma senha da corredora russa Yuliya Stepanova, uma delatora e testemunha-chave para as investigações da Wada. Ela e seu marido, um ex-dirigente da agência antidoping da Rússia, agora estão vivendo em um local secreto na América do Norte.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) disse que "condena veementemente tais métodos que se destinam claramente a manchar a reputação dos atletas limpos". "O COI pode confirmar, porém, que os atletas mencionados não violaram nenhuma regras antidoping durante os Jogos Olímpicos Rio-2016", disse o organismo olímpico.

Em um comunicado publicado no seu site nesta terça-feira, o "Fancy Bears" proclamou sua fidelidade ao Anonymous, famoso grupo de hackers, e disse que atacou a Wada para mostrar ao mundo "como as medalhas olímpicas são ganhas".

"Vamos começar com a equipe dos EUA que desgraçou seu nome com vitórias contaminadas", disse o grupo, acrescentando que mais revelações sobre outros países serão realizadas no futuro.

Registros na internet mostram que o "Fancy Bears" teria iniciado suas atividades há menos de duas semanas - seu dite foi registrado em 1º de setembro e seu perfil no Twitter foi criado no dia 6.