23°
Máx
12°
Min

Handebol do Brasil vê trabalho ir por 'água abaixo' com eliminação nas quartas

(Foto: Inovafoto) - Handebol do Brasil é eliminado nas quartas
(Foto: Inovafoto)

O handebol feminino do Brasil sonhou conquistar uma medalha ouro olímpica, mas deixou a Arena do Futuro, nesta terça-feira, sem nem ter tido essa oportunidade. Pela segunda Olimpíada seguida, desta vez em casa, o time fez a melhor campanha da fase de classificação e caiu nas quartas de final. A derrota por 32 a 23 para a Holanda marca o fim de uma geração que chegou ao título mundial em 2013.

"Todo o trabalho que a gente fez foi por água abaixo. É como se fosse para nada. Hoje (terça) que tinha que jogar com toda força, como jogou contra a Noruega, a gente não jogou. É difícil imaginar que o jogo da vida da gente aconteceu como em Londres. Hoje foi pior ainda. A gente começou mal e terminou mal", criticou a goleira Mayssa.

Aos 31 anos, a paraibana anunciou, ao fim da partida, que não joga mais pela seleção brasileira. Também as pivôs Dara e Dani Piedade já haviam tomado essa decisão, antes mesmo da Olimpíada.

Nesta terça, ambas passaram chorando pela zona mista. Mesmo assim, aceitaram falar com a imprensa. "Não foi do jeito que eu queria. O jogo não encaixou. Num campeonato como esse, existem momentos que você pode perder e hoje era um momento que não podia perder e a gente perdeu", analisou a capitã Dara.

A avaliação geral é de que a forte marcação holandesa neutralizou Ana Paula e Duda e não deixou o Brasil jogar. Por outro lado, a defesa brasileira permitiu à Holanda impor seu estilo, de correria. Os times fizeram dois amistosos na semana que antecedeu à Olimpíada, com uma vitória do Brasil e um empate.

"Eles trabalharam para jogar contra a gente. Fecharam um pouco mais a Ana Paula, que é quem comanda nosso ataque. Fecharam bem a Duda, também. Hoje não encaixou", analisou Dani Piedade, uma das mais abaladas. Deonise, Ana Paula e Duda, entre outras, se recusaram a atender à imprensa.