23°
Máx
12°
Min

Holandesa leva ouro no ciclismo de estrada; colega de equipe sofre grave acidente

(Foto: Reprodução Rio 2016) - Holandesa leva ouro no ciclismo de estrada; colega sofre acidente
(Foto: Reprodução Rio 2016)

A holandesa Anna Van der Breggen, de 26 anos, levou o ouro no ciclismo de estrada feminino, num desfecho emocionante, em que a corrida de 136,9 km foi decidida nos metros finais, neste domingo, na Olimpíada do Rio de Janeiro. Em seguida vieram a sueca Emma Johansson e a italiana Elisa Borghini.

Todas fizeram o mesmo tempo: 3h51min27s. A norte-americana Mara Abbott, que vinha liderando a prova, ficou de fora do pódio, ao ser ultrapassada pelas três concorrentes. A brasileira Flávia Oliveira terminou a prova em sétimo, o melhor resultado no ciclismo de estrada brasileiro.

A festa holandesa foi ofuscada pelo grave acidente sofrido por outra atleta da equipe holandesa Annemiek Van Vleute. Na descida da Vista Chinesa, ela perdeu a direção de sua bicicleta, capotou e se chocou com o meio-fio. Desacordada, a ciclista ficou com o corpo sobre o meio-fio alto naquele ponto e a cabeça na pista. Após o susto, Van Vleute estava consciente e se comunicava quando foi levada para o hospital, onde passará por mais exames. O estado dela é estável.

Neste mesmo local se acidentou o italiano Vicenzo Nibali, favorito na prova masculina, ao se chocar com o colombiano Sergio Henao. Nibali teve dupla fratura na clavícula e Henao, na bacia.

"Foi um choque [o acidente com Van Vleute]. Não poderíamos ajudá-la, só nos restava seguir na corrida", disse a campeã olímpica, também da seleção holandesa. "Aquela é uma descida difícil, não poderíamos ir muito rápido. Depois da corrida masculina ficamos mais alertas."

Van Vleute estava na dianteira de Mara Abbott, que tomou distância do segundo pelotão. Ela chegou à frente das demais no asfalto, mas não conseguiu manter o ritmo.

BRASIL - Flávia Oliveira fez uma grande prova. Ficou o tempo todo no segundo pelotão, bem posicionada. Enquanto os grandes times, como Holanda e Estados Unidos, tinham quatro atletas por equipe, as brasileiras eram apenas duas - além de Flávia, disputou Clemilda Fernandes.

Flávia soube se posicionar e aproveitou o vácuo deixado pelas outras atletas a favor dela. Terminou a prova à frente da holandesa Marianne Vos, bicampeã olímpica da prova (Pequim-2008 e Londres-2012). Clemilda Fernandes excedeu o tempo limite e terminou a prova em 51º lugar. Ela não conteve o choro e foi consolada pela família.

O vento forte da manhã deste domingo foi ingrediente de dificuldade a mais no já duro percurso do ciclismo de estrada que as 68 atletas da prova feminina tiveram de enfrentar. Os primeiros trechos do circuito de 136,9 km não puderam ser acompanhados pela equipe de filmagem aérea porque não havia condições para que os helicópteros levantassem voo.

Além das subidas íngremes, curvas fechadas, descidas técnicas, as atletas tiveram de enfrentar o vento pela lateral, que aumenta o risco de queda, e até areia no asfalto, levada pela ventania.

As ciclistas saíram de Copacabana sob o sol forte do meio-dia e deram duas voltas no Circuito de Grumari e seguiram para o trecho mais arriscado Canoas/Vista Chinesa, com subida de 9 km. Ao passar pela Praia do Recreio, pedalaram com areia no asfalto, levada pela ventania.

Antes da subida para as Canoas, cinco atletas desistiram da prova - a chilena Paola Munoz, a tailandesa Jutatip Maneephan, a sueca Sara Mustonen, a costarriquenha Mena Milagro, e a namibiana Vera Adrian. Ao fim, dezesseis atletas não terminariam a corrida.