22°
Máx
17°
Min

IAAF oferece auxílio a federações que quiserem punir Rússia

O Comitê Olímpico Internacional (COI) optou por não proibir a Rússia de participar dos Jogos Olímpicos do Rio e entregar a cada federação internacional esportiva a decisão de suspender os russos em sua respectiva modalidade. É a oportunidade de seguir o exemplo da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), que tomou essa decisão anteriormente.

Em nota, o presidente da IAAF, o britânico Sebastian Coe, disse que a entidade está disposta a oferecer sua experiência para outras federações interessadas em também excluir a Rússia.

"O time da IAAF (está) pronto para oferecer auxílio a qualquer federação esportiva internacional, oferecendo nossa experiência e o que nós aprendemos pelos últimos oito meses", disse Coe. A declaração foi publicada via redes sociais.

A IAAF suspendeu a Rússia depois que descobriu que a federação nacional tinha participação direta no acobertamento de casos positivos de doping. A Rússia recorreu do gancho, mas não obteve sucesso em seu pleito na Corte Arbitral do Esporte (CAS).

No total, 68 atletas pediram para se encaixar como exceção, mas só uma teve sucesso: a saltadora Darya Klishina, que é radicada nos Estados Unidos e, por isso, é submetida a exames antidoping da agência americana. Ela poderá competir defendendo a bandeira da Rússia.

Delatora do esquema de doping, Yuliya Stepanova também havia sido liberada. Mas a corredora de 800m foi barrada neste domingo, uma vez que o COI decidiu que nenhum atleta russo que tenha histórico de doping pode participar da Olimpíada. Stepanova cumpriu suspensão em 2013.