24°
Máx
17°
Min

Italiana do vôlei de praia é pega no doping e pode ser excluída do Rio-2016

Foto: AFP - Italiana do vôlei de praia é pega no doping e pode ser excluída
Foto: AFP

Às vésperas do início das competições olímpicas no vôlei de praia, no sábado, a jogadora italiana Viktoria Orsi Toth teve resultado positivo no exame antidoping e pode ser excluída da Olimpíada do Rio de Janeiro. A substância encontrada no teste da atleta foi o esteroide anabolizante Clostebol Metabolita, informou a Federação Italiana de Vôlei (Fipav) nesta terça-feira.

O resultado é fruto de um exame realizado pela Agência Nacional Antidoping (Nado) italiana no dia 19 de julho, em Roma. Suspensa de forma cautelar, a jogadora pediu que seja realizada uma análise da amostra B com urgência. Os exames devem ser realizados na manhã desta quarta-feira.

Toth é dupla de Marta Mennegathi, treinada pelo brasileiro Lissandro Carvalho. As duas têm estreia marcada no Rio-2016 para o dia 7 de agosto, domingo, contra as canadenses Broder e Valjas. Elas fazem parte do Grupo D, composto ainda pelas alemãs Laura Ludwig e pelas egípcias Doaa Elghobashy e Nada Meawad.

O presidente da Fipav, Carlo Magri, afirmou ao jornal italiano La Reppublica que Toth usou uma pomada sem consultar os médicos a respeito. Segundo a publicação, a jogadora deverá ser substituída e Mennegathi ganhará uma nova companheira de quadra. A mais cotada seria Rebecca Perry.

Toth, de 25 anos, é nascida em Budapeste, na Hungria, mas se mudou para a Itália aos 5 anos de idade. Filha de atletas - seu pai era do decatlo e a mãe jogou basquete pela Itália - ela fez parte em 2008 do time vencedor do ouro no campeonato europeu júnior de vôlei de quadra.