23°
Máx
12°
Min

Judoca de Rolândia conquista 1ª medalha paranaense na Rio 2016

(foto: Roberto Castro/ Brasil2016) - Judoca de Rolândia conquista 1ª medalha paranaense na Rio 2016
(foto: Roberto Castro/ Brasil2016)

 O judoca Rafael “Baby” Silva conquistou medalha de bronze na categoria acima de 100 quilos do judô. É a primeira medalha de um paranaense nas Olimpíadas Rio 2016.

Rafael é nascido em Aquidauana, no Mato Grosso do Sul, mas foi criado em Rolândia (18 km de Londrina). O judoca de 27 anos  já havia conquistado o bronze em Londres 2012.

Baby venceu o experiente Abdullo Tangriev, do Usbequistão, por yuko, para delírio da torcida presente na Arena Carioca 2. Com a medalha, o judô brasileiro encerra sua participação nos Jogos do Rio-2016 com uma medalha de ouro, de Rafaela Silva, e duas de bronze, de Rafael "Baby" Silva e Mayra Aguiar. O resultado é inferior ao obtido nos Jogos de Londres, quando o Brasil obteve quatro medalhas (uma de ouro e três de bronze). 

A campanha irregular do Brasil também fez com que a Confederação Brasileira de Judô (CBJ) não alcançasse sua meta. A intenção era obter a melhor campanha da história, mas alguns atletas favoritos ao pódio em suas categorias, como Sarah Menezes, Erika Miranda e Victor Penalber, saíram sem medalha. 

O pódio de Baby coroa um momento de superação do atleta, que por pouco não ficou fora dos Jogos Olímpicos por causa de uma lesão no ombro. Ele passou meses longe do tatame e quase perdeu a vaga para David Moura. No final, conseguiu se recuperar a tempo, obteve os pontos no ranking e pôde representar o País na categoria. 

Baby só não foi mais longe porque cruzou nas quartas de final com o favorito Teddy Riner, da França, e acabou perdendo por wazari. O judoca francês reina há anos na categoria dos pesados e já se sabia que o brasileiro teria enorme dificuldade contra o rival. E foi o que aconteceu. 

Antes das quartas de final, Baby vinha de duas vitórias. A primeira foi contra Ramon Pileta, de Honduras, por ippon. O judoca acertou um osoto-gari e venceu. Na sequência, encarou o russo Renat Saidov e também ganhou por ippon, graças a um osoto-makikomi. Na repescagem, o brasileiro venceu o holandês Roy Meyer e se manteve vivo na briga pela medalha, que veio conquistar.