22°
Máx
14°
Min

Kauiza faz índice fraco nos 200m em prova com lesão de Franciela

A prova feminina dos 200 metros foi o principal destaque da manhã do último dia do Campeonato Ibero-Americano, que está sendo realizado no Engenhão e serve como evento-teste para a Olimpíada do Rio. Nesta segunda-feira, Kauiza Venancio fez o índice olímpico na final, mas com marca que não garante a sua presença na Olimpíada, enquanto Franciela Krasucki deixou a competição lesionada.

"Estava muito perto e finalmente desta vez o índice saiu", comemorou Kauiza, que agora espera melhorar sua marca até o Troféu Brasil, em julho. "A tendência é crescer na sequência dos treinos e das competições."

A final foi vencida pela venezuelana Nercelis Soto com a marca de 22s95. Já Kauiza marcou 23s18 e garantiu a terceira colocação, correndo 0s02 abaixo do índice olímpico. O Brasil, porém, só poderá ter três representantes na prova na Olimpíada e a marca registrada nesta segunda foi pior do que os índices de Rosângela Santos (22s77), Ana Cláudia Lemos (23s08) e Vitória Cristina Silva Rosa (23s11).

A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) explicou que levará para a Olimpíada a campeã do Troféu Brasil e as duas mais bem colocadas no ranking brasileiro de 2016, dentre as que estejam qualificadas.

Nesta segunda, Rosângela Santos não participou da final dos 200m, alegando estar com um mal-estar. "Ela ficou algum tempo sem se alimentar e logo após a prova, chegou a 'apagar'. Achamos melhor que ela descansasse", explicou o técnico da atleta, Carlos Alberto Cavalheiro.

Já Franciela Krasucki, lesionada, nem cruzou a linha de chegada. Com dores na coxa direita, a brasileira deixou o local de competições em uma cadeira de rodas.

MEDALHAS - Mesmo sem assegurar outros índices olímpicos, o atletismo brasileiro faturou algumas medalhas na manhã desta segunda-feira no Engenhão. O maior destaque ficou por conta de Altobeli Silva, que venceu a prova dos 5 mil metros entre os homens, com o tempo de 13min53s48, à frente do espanhol Daniel Mateo e do uruguaio Nicolas Cuestas.

Foi o segundo ouro de Altobeli na competição, após a conquista nos 3 mil metros com obstáculos. "Vou guardar este Ibero-Americano com carinho na minha memória. Vi que a prova não estava com ritmo muito forte, que não iria dar para fazer uma marca boa e aí corri para a vitória. Não sou muito rápido, mas não sou tão lento. Acho que estou surpreendendo", celebrou.

No salto com vara, foram duas medalhas para atletas do País. Augusto Oliveira Dutra ficou com a prata ao saltar 5,30m, enquanto Abel Curtinove veio logo na sequência e faturou o bronze com 5,20m. O ouro foi do argentino German Chiaraviglio, que saltou 5,60m.

Na prova do 110m com barreiras, a prata ficou com o brasileiro Eduardo de Deus, que completou o percurso em 13s56, pouco atrás do peruano Javier McFarlane, vencedor com 13s55. Já nos 200m, Bruno Barros foi bronze com o tempo de 20s54. O ouro foi do dominicano Yancarlos Martinez, com 20s19.