21°
Máx
17°
Min

Lenda da ginástica, Uchimura não se vê em igualdade com Phelps e Bolt

(Foto: Divulgação)  - Lenda da ginástica, Uchimura não se vê em igualdade com Phelps e Bolt
(Foto: Divulgação)


Bicampeão olímpico no individual geral nos Jogos do Rio e seis vezes campeão mundial, o japonês Kohei Uchimura vem se tornando uma lenda da ginástica artística. A supremacia é tanta que já tem sido comparado pelos adversários a outros astros do esporte, como o norte-americano Michael Phelps, da natação, e o jamaicano Usain Bolt, do atletismo.

"Kohei é como o Michael Phelps na natação. Nós temos o nosso Phelps, ele já é uma lenda. Não acredito que ele duvide de si mesmo", afirmou o ucraniano Oleg Verniaiev, que liderava a prova até a última apresentação no derradeiro aparelho e acabou derrotado.

Mas o ginasta do Japão não se vê em igualdade com outros nomes lendários. "Todo mundo conhece esses nomes, mas Kohei Uchimura, quem é esse homem? Eu não acho que sou conhecido pelo mundo. Espero que as pessoas gostem de nos assistir e de ver ginástica."

A disputa pelo posto de ginasta mais completo do mundo sofreu uma reviravolta digna de ter saído do enredo de uma novela mexicana. O japonês já havia finalizado sua apresentação quando chegou a vez do rival barra fixa. Verniaiev precisava da nota 14,899 - mais baixa do que todas que havia tirado no dia -, mas, para surpresa do público, acabou somando 14,800 pontos e ficou com a prata.

Uchimura negou qualquer tipo de favorecimento por parte dos árbitros. "Jamais aconteceria. Os juízes não favorecem certos atletas. Nós só vamos lá e fazemos o melhor que pudermos. Nós somos seres humanos e temos sentimentos, mas eles são profissionais. Não há chance de os juízes usarem seus sentimentos." O ginasta da Ucrânia também endossou o discurso.

O reinado do japonês nunca foi tão ameaçado quanto nos Jogos Olímpicos do Rio. E Verniaiev quer continuar no páreo nas próximas competições. "Só quero que ele saiba que quero competir. Vou evoluir para chegar mais próximo dele. Tentarei fazer o meu melhor para alcançá-lo e tenho certeza que não serei o único. O espetáculo será mais divertido a cada ano", projetou.

A lenda da ginástica admite que a derrota estava próxima, ainda assim, mostrou satisfação com sua performance. "Desde 2009, tenho mantido esse título, mas dessa vez foi a mais difícil. Me senti muito perto de admitir que talvez seria difícil mantê-lo. Mesmo se eu tivesse perdido, estaria feliz. Não tenho palavras para explicar como tenho mantido esse nível. Só tenho de continuar", disse Uchimura, que já confirmou presença nos Jogos de Tóquio, no Japão, em 2020.