24°
Máx
17°
Min

Levantador de peso do Quirguistão e canoísta da Moldávia são pegos no doping

(Foto: Ministério do Esporte) - Atletas do Quirguistão e da Moldávia são pegos no doping
(Foto: Ministério do Esporte)


A Olimpíada registrou nesta quinta-feira dois casos de doping de atletas que faturaram medalhas nos Jogos. O levantador de peso Izzat Artykov, do Quirguistão, e o canoísta Serghei Tarnovschi, da Moldávia, foram flagrados pelo uso de substâncias proibidas, conforme anunciou a organização do Rio-2016.

Artykov foi o primeiro dos dois a ser flagrado no exame, pelo uso de estricnina, estimulante proibido pela Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês). Imediatamente após o anúncio de sua infração, o atleta do Quirguistão teve retirada sua medalha de bronze conquistada na categoria até 69kg do levantamento de peso.

A Corte Arbitral do Esporte (CAS) imediatamente encaminhou o caso à Federação Internacional de Halterofilismo e Artykov pode ser suspenso do esporte por dois anos. Com o resultado de seu exame, o colombiano Luis Javier Mosquera, que havia sido o quarto colocado na prova, deve herdar o bronze.

Tarnovschi também havia ficado com o bronze na canoagem de velocidade, na prova C1 de 1.000 metros, na qual o brasileiro Isaquias Queiroz ficou com a prata. O moldávio ainda não teve a medalha retirada oficialmente, mas isso deve acontecer em breve. Ela deve ser herdada pelo russo Ilia Shtokalov.

A Federação Internacional de Canoagem não deu maiores detalhes sobre o caso de Tarnovschi e nem informou a substância proibida encontrada em sua amostra. O certo é que o moldávio foi suspenso preventivamente e não poderá disputar a prova do C2 1.000 metros nesta sexta-feira.