26°
Máx
19°
Min

Levantamento de peso anuncia 20 novos casos de doping em Pequim e Londres

A Federação Internacional de Levantamento de Peso (IWF, na sigla em inglês) anunciou nesta segunda-feira que atletas da modalidade são responsáveis por 20 resultados analíticos adversos dentre os 54 observados na reanálise de exames antidoping colhidos nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, e Londres, em 2012.

Nas últimas semanas, o Comitê Olímpico Internacional (COI) revelou apenas que reavaliou 454 amostras de Pequim e as 265 de Londres, encontrando respectivamente 23 e 31 resultados analíticos adversos. Mas a entidade não detalhou a nacionalidade ou de quais modalidades são os atletas flagrados.

À medida que vão sendo informadas, alguns comitês olímpicos nacionais e federações internacionais vão fornecendo detalhes. Inicialmente, foi a Rússia que assumiu ser responsável por 22 casos, sendo 14 de Londres e oito de Pequim. Um canal estatal de televisão da Rússia revelou que são 11 casos no atletismo apenas referentes a 2012.

Depois, as federações internacionais de boxe e ciclismo anunciaram que o pugilista turco Adem Kilicci e a ciclista russa Yekaterina Gnidenko foram flagrados no doping em 2012. Nesta segunda-feira, mais cedo, foi a vez de o Casaquistão assumir cinco dos casos, sem revelar nomes ou modalidades.

O anúncio da IWF é parte importante desse quebra-cabeça. São 10 resultados analíticos adversos em Pequim e outros 10 em Londres, envolvendo inclusive medalhistas. Os nomes dos atletas não foram revelados. No caso dos exames de 2008, ainda há a necessidade da realização da contraprova. Por enquanto, nenhum atleta está suspenso, o que só vai ocorrer quando o COI encerrar todos os trâmites.

Mais cedo, também nesta segunda-feira, em caso paralelo, a Rússia anunciou a suspensão por doping de seis atletas do levantamento de peso, nenhum deles olímpico. Com o gancho a esses atletas, a Rússia já ultrapassa os nove casos em 2015. Pelo regulamento da IWF e do COI, isso é passível de suspensão da federação nacional por quatro anos, o que tiraria a Rússia da Olimpíada na modalidade. A Bulgária, outra potência, cumpre essa suspensão e não estará no Rio-2016. Onze atletas búlgaros caíram no doping no Europeu do ano passado.