22°
Máx
17°
Min

Livre para Rio-2016, Ana Claudia diz que foi 'vítima de contaminação' em doping

(Foto: Wagner Carmo/CBAt) -  Ana Claudia diz que foi 'vítima de contaminação' em doping
(Foto: Wagner Carmo/CBAt)

Cinco meses depois de ter sido pega em um exame antidoping, a velocista Ana Claudia Lemos se disse "vítima de uma contaminação". Absolvida da acusação pelo uso de oxandrolona, o principal nome da velocidade feminina no País afirmou que o tomou o medicamento para curar uma lesão no joelho. "Foi um erro, ficou provado em um laboratório no Brasil e outro no Canadá. Eu fui vítima de uma contaminação", disse a atleta na manhã desta quarta-feira na base da Aeronáutica que se tornou o centro de treinamentos da equipe de atletismo.

Seu advogado, Marcelo Franklin, prometeu retaliação. "Ela teve toda sorte de prejuízo. Perdeu competições, patrocínios. Essa conta vai chegar", disse Marcelo Franklin. "Estamos fazendo o levantamento. Muita gente acusou a Ana Claudia sem provas", completou o advogado.

Ana Claudia foi demitida de seu clube, o BM&F Bovespa, de São Caetano. O advogado afirmou que o clube não foi uma das partes que prejudicou a atleta. "Senti falta de amizade. Eu enfrentei tudo com a ajuda de psicólogos. Repensei algumas atitudes minhas, me aproximei da família. Agora quero fazer o meu melhor no atletismo", disse a velocista.

Ana Claudia Lemos foi suspensa por cinco meses pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva e a Associação Internacional das Federações de Atletismo decidiu não recorrer. Segundo Franklin, a decisão do órgão internacional foi baseada nas comprovações de contaminação que a defesa teria apresentado. Com o fim do prazo de suspensão, ela está liberada para participar dos Jogos nos 100 metros, nos 200m e no revezamento 4x100m.