22°
Máx
14°
Min

Luis Carlos Cardoso e Caio Ribeiro avançam paras as finais na canoagem

Luis Carlos Cardoso e Caio Ribeiro avançam paras as finais na canoagem

O Estádio da Lagoa recebeu, na manhã desta quarta-feira (14.09), as baterias preliminares e semifinais do primeiro dia de disputas da canoagem velocidade nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Luis Carlos Cardoso, na classe KL1, e Caio Ribeiro, na KL3, venceram as suas baterias e avançaram direto à final. As provas decisivas ocorrem amanhã (15.09), a partir das 9h.

Campeão mundial da classe KL1, para atletas que usam somente os braços durante a remada, Luis Carlos Cardoso venceu a segunda bateria da categoria com o tempo de 54.887, e passou à final com a segunda marca geral, atrás apenas do britânico Ian Mardsen, vencedor da primeira bateria com 52.311. Embora tenha se mostrado satisfeito com o resultado após a prova, o atleta pregou foco para o embate decisivo. “A primeira etapa foi concluída, agora é descansar bem a mente para amanhã vir com força total e buscar uma medalha para o nosso país”.

Para o piauiense, uma vitória na estreia da modalidade no programa paralímpico, e diante de uma ilustre torcedora, teria um sabor especial. “Além de ser a primeira vez da canoagem nos Jogos, estamos competindo em casa. Nossa família está ai, na arquibancada. Isso é um valor muito grande, vai ficar marcado na marcado na memória de cada um deles, principalmente da minha sobrinha Luisa, de três anos, que é pequenininha”, afirma.

Para Luis Carlos, o sucesso da canoagem velocidade olímpica brasileira, que no Rio 2016 subiu três vezes ao pódio, é fundamental para que a modalidade passe a ser mais conhecida no Brasil. “Deu mais uma motivação. Acredito que através do Isaquias e do Erlon, o país pôde conhecer mais o que é a canoagem velocidade. As pessoas puderam conferir esse esporte tão maravilhoso. Espero que a partir desse resultado, o esporte venha a se desenvolver mais em nosso país”.

Antes de sofrer uma infecção na medula e perder o movimento das pernas, o canoísta era dançarino profissional e integrava o grupo de dançarinos do cantor de forró Frank Aguiar. Um dos grandes incentivadores da carreira esportiva de Luis Carlos, o músico deu ao atleta o seu primeiro barco para treinamentos.

Tricampeão mundial da prova de canoa – que não faz parte dos Jogos Paralímpicos, que só abrange disputas em caiaques –, Luis torce para que a embarcação seja incluída nas próximas edições dos Jogos. “Seria maravilhoso. É meu sonho poder disputar duas provas e, quem sabe, levar duas medalhas. Se a canoa entrar também, pode ter certeza que vou me dedicar aos dois, não vou largar nenhum”, brinca.

Fonte: Ministério do Esporte