24°
Máx
17°
Min

Mãe de Thiago Pereira solta o famoso grito nos Jogos Olímpicos

(Foto: Divulgação/Flavio Florido/COB) - Mãe de Thiago Pereira solta o famoso grito nos Jogos Olímpicos
(Foto: Divulgação/Flavio Florido/COB)

"Vai, Thiagoooooo". O grito da mãe de Thiago Pereira ecoou no Estádio Aquático Olímpico na noite desta quarta-feira, no Rio de Janeiro. Antes mesmo de o nadador cair na água, Rose Vilela movimentava a bandeira do Brasil, que a acompanha desde 2003, de um lado para o outro, pedia silêncio na arquibancada (shhhhhhh), balbuciava algumas palavras, rezava. Ao lado dela estava Gabriela Pauletti, mulher do nadador. Lágrimas escorriam em seu rosto. Chegava a hora tão aguardada.

Assim que Thiago deixou o bloco, Rose usou a voz para empurrar o filho nos 200 metros medley. Gritos ritmados marcaram os primeiros 50 metros. Na hora do nado peito, apenas um pedido: "Grande, grande". Ela andava de um lado para outro, como se estivesse dentro da piscina. Após o estilo crawl, veio o alívio. Soltou a respiração e ainda ganhou um tchau de Thiago de dentro da piscina.

Poucos minutos antes, o comportamento era outro. As mãos entrelaçadas, um momento de silêncio e uma leve mordida nos lábios não escondiam a ansiedade de uma mãe à espera de torcer pelo filho na piscina. A mesma mãe que um dia sentou sozinha na arquibancada vendo a sua criança dar as primeiras braçadas.

Mas a semifinal não foi o primeiro momento de tirar o fôlego e acelerar o coração. Foi o segundo round do dia para Rose. Nas eliminatórias dos 200 metros medley, no início da tarde, a agitação era ainda maior. "Foi a primeira caída na água, é sempre mais difícil. Gosto de saber como ele está se sentindo, eu reconheço o andar dele, a carinha dele quando sai da prova. Achei que ele fez uma prova muito consciente", analisou.

Apesar do nervosismo, ela continuou confiante até o fim. A esperança era fruto de muita energia positiva, emanada pela família, pelos amigos e por todo o Brasil. "Que a força do bem te envolva e te conduza, vai, Thiago, amém", rezou a mãe. A frase foi repassada pela avó de Thiago Pereira, que só não esteve presente no Estádio Aquático porque não daria conta de tanta emoção, e será levada novamente para a grande final.