26°
Máx
19°
Min

Mais de 100 atletas russos são impedidos de ir ao Rio e Isinbayeva ataca IAAF

A Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) fecha as portas do Rio de Janeiro para Yelena Isinbayeva e para mais 133 atletas russos que haviam solicitado que seus casos fossem avaliados para que pudessem participar dos Jogos Olímpicos, em agosto. Mas a entidade, com o aval do COI, deu um sinal verde apenas para Darya Klishina e Yuliya Stepanova. Ambas terão de concorrer a medalhas sob uma "bandeira neutra".

Há dois meses, a entidade anunciou a suspensão da Rússia de todas as competições do atletismo mundial diante das revelações de um esquema de doping organizado pelo estado russo.

Para garantir que atletas limpos pudessem concorrer, o COI permitiu que aqueles que se considerassem inocentes poderiam apresentar seus argumentos e que cada um de seus dossiês seria avaliado. Mas a condição era de que estivessem treinando fora do país e passando por controles de doping fora da Rússia.

Esse foi o caso de Klishina, do salto em distância e a única que teve o seu passaporte confirmado para o Rio. Ela, porém, não competirá representando a Rússia. Há uma semana, a corredora dos 800 metros, Yuliya Stepanova, também havia sido autorizada a competir. Mas como um prêmio por seu ato de denunciar como funcionava o doping russo. Há mais de um ano que ela treina na Alemanha.

No total, 136 atletas pediram para que seus casos fossem reavaliados. Uma delas era Yelena Isinbayeva, recordista mundial do salto com vara, que teve seu recurso rejeitado. No início da semana passada, o Comitê Olímpico Russo ignorou a sua suspensão e anunciou uma equipe de 68 pessoas que iriam aos Jogos. Mas todos, salvo Klishina, foram rejeitados. Em sua página nas redes sociais, a saltadora se declarou "muito feliz" e agradeceu pelo apoio que recebeu.

Mas os russos já indicaram que vão recorrer da decisão e uma sentença final será dada pela Corte Arbitral dos Esportes (CAS, na sigla em inglês) no próximo dia 21, em Lausanne, na Suíça.

Nas redes sociais, Isinbayeva continuou a atacar neste domingo a decisão das autoridades. "Não prestem atenção ao que diz a Federação Internacional de Atletismo e a declaração de que não iremos ao Rio", disse, em uma mensagem aos torcedores russos. "A declaração de hoje (domingo) é nada. Um grande nada e que fede", atacou. "Vamos esperar pela decisão final, que é no dia 21", insistiu. "Se o Tribunal decidir que a suspensão continua, ai então não teremos chances de ir aos Jogos", completou.