22°
Máx
14°
Min

Marcus Vinicius fica muito perto da Olimpíada no tiro com arco; índios estão fora

Responsável por tornar o tiro com o arco uma modalidade de destaque no País, Marcus Vinicius D'Almeida está muito perto de se garantir nos Jogos Olímpicos do Rio. Após a realização de três das quatro seletivas nacionais para a formação da equipe brasileira, ele lidera com folga suficiente para garantir que será convocado para a Olimpíada. A Confederação Brasileira de Tiro com Arco (CBTArco), entretanto, só anunciará os nomes em maio e, dos quatro que forem apontados, um ficará como reserva.

Nas seletivas nacionais, são considerados os resultados do chamado round 70m, etapa de classificação de uma competição olímpica, e as vitórias nos confrontos diretos contra cada um dos 10 participantes da seletiva. Quem tem um desempenho perfeito pode somar 14 pontos.

Marcus Vinicius já tem 36 e lidera com alguma folga sobre Bernardo Oliveira (33), Daniel Xavier (32) e Marcelo Costa (31). O quinto colocado, Marcos Bortoloto, soma 19,5. A última etapa será nos dias 30 de abril e 1.º de maio, em São Paulo. O pior resultado é descartado.

Os dois primeiros do ranking serão convocados automaticamente e as outras duas vagas serão definidas pela comissão técnica. Às vésperas dos Jogos, um deles ficará como reserva. Pelos resultados na seletiva, tudo indica que Bernardo, Daniel, Marcelo e Marcus Vinicius serão os escolhidos.

A seletiva conta com dois indígenas, Drean Braga (o Iagoara, de 19 anos) e Nelson Silva (o Inha, de 16), mas ambos ficaram entre os últimos nas três seletivas, sem justificar merecerem a convocação pelos critérios técnicos. Não podem mais ficar entre os quatro primeiros do ranking.

VAI DAR MEDALHA? - No último sábado, Bernardo somou 666 pontos na fase de classificação da terceira etapa da seletiva, contra 665 de Marcus Vinicius e de Marcelo. Fosse uma competição por equipes, o time somaria 1.996 pontos. Como comparação, a Coreia do Sul, melhor do último Mundial, fez 1.968.

Também levando como base o último Mundial, 666 pontos foi o resultado do primeiro colocado da fase de classificação, um italiano. Marcus Vinicius fez 667 e 668 nas duas primeiras seletivas.

FEMININO - Entre as mulheres, AneMarcelledosSantos, revelada no mesmo projeto que Marcus Vinicius, em Maricá, lidera com folga. Ela tem 37,5 pontos, contra 31 de Sarah Nikitin. As duas estão garantidas na convocação. As outras vagas, apontadas pela comissão técnica, devem ser disputadas por Marina Canetta (22), LarissaRodrigues (26,5), Alice Simões (21,5) e Ana Clara Machado (22,5). Inaiá Silva, a Yaci, também indígena, soma apenas 16,5 e precisaria de um resultado de destaque na última seletiva para seguir sonhando.