21°
Máx
17°
Min

Médico britânico alega ter administrado substâncias dopantes a 150 atletas

O jornal inglês Sunday Times revelou, neste domingo, um escândalo de doping que abalou a comunidade esportiva mundial. O médico britânico Mark Bonar afirmou ter administrado substâncias banidas no esporte a mais de 150 atletas.

Bonar teria comandado o tratamento com jogadores de futebol dos principais times do Campeonato Inglês - como Arsenal, Chelsea, Leicester City e Birmingham -, assim como ciclistas da Volta da França, atletas do tênis, lutadores e um campeão de boxe.

De acordo com o diário, ele tratou atletas britânicos e estrangeiros com medicações ilegais para a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês). Entre as substâncias estariam EPO, esteroides e hormônio do crescimento (HGH).

Todos os clubes citados pela reportagem negaram qualquer tipo de envolvimento no esquema. A Agência Britânica Antidoping (Ukad, na sigla em inglês) afirmou em nota oficial que está "profundamente preocupada e chocada" com a reportagem.

Nicole Sapstead, executiva-chefe da Ukad, afirmou que a agência foi avisada sobre o esquema conduzido por Bonar há dois anos, mas não estava apta a investigar o caso porque o médico não estava ligado diretamente a um esporte em particular.

"Sob a atual legislação, a Ukad tem o poder apenas de investigar atletas e equipe (incluindo médicos) que estão filiados a alguma associação esportiva", disse Nicole. A agência teria descartado ir à fundo no caso por conta da falta de evidências.