27°
Máx
13°
Min

Murer sente dores e nem salta em Londres, mas diz que não preocupa para Rio-2016

(Foto: Divulgação) - Murer sente dores e nem salta em Londres
(Foto: Divulgação)

Fabiana Murer nem saltou naquele que era encarado como seu teste final para os Jogos Olímpicos do Rio. Neste sábado, no segundo dia da etapa de Londres da Diamond League, a brasileira alegou estar com dores nas costas e no pescoço, provavelmente um torcicolo, segundo a sua explicação, para não participar da disputa do salto com vara.

Apesar disso, Murer garantiu que o problema não preocupa para a Olimpíada. "Não sentia muita confiança para entrar, então decidi me poupar. Dói no pescoço e reflete nas costas", disse a brasileira em entrevista ao BandSports. "Estou bem tecnicamente, foi só um torcicolo, que não me dava confiança para competir. Foi só para me poupar para a Olimpíada", acrescentou.

Sem a presença de Murer, a disputa do salto com vara em Londres foi vencida pela grega Ekaterini Stefanidi, com 4,80 metros. O pódio foi completado pela atual campeã mundial, a cubana Yarisley Silva, que saltou 4,72m, e pela neozelandesa Eliza McCartney, com 4,62m.

As marcas alcançadas neste sábado, porém, não tiraram Murer da liderança do ranking mundial nesta temporada, com 4,87m. Stefanidi, que levou o ouro neste sábado em Londres, ocupa o segundo lugar da lista, com 1 centímetro a menos.

O Brasil também esteve presente neste sábado em Londres na disputa masculina do 4x100 metros. Bruno Lins, Vitor Hugo dos Santos, Aldemir Gomes Junior e Jorge Henrique Vides fiaram apenas em sexto lugar, com o tempo de 38s35.

O quarteto britânico formado por James Dasaolu, Adam Gemili, James Ellington e Chijindu Ujah venceu com a marca de 37s78, a melhor do mundo em 2016. O pódio foi completado por outro quarteto britânico, com 37s81, em segundo lugar, enquanto a equipe canadense marcou 38s17 para assegurar a terceira posição.