27°
Máx
13°
Min

Número 1 do mundo, chinês desbanca atual campeão e fatura ouro no tênis de mesa

Foto: Agência Estado - Chinês desbanca atual campeão e fatura ouro no tênis de mesa
Foto: Agência Estado


Diante de uma barulhenta torcida chinesa no Pavilhão 3 do Riocentro, Ma Long e Zhang Jike fizeram uma aguardada final do tênis de mesa, totalmente chinesa, na noite desta quinta-feira, nos Jogos do Rio-2016. O confronto reuniu o número 1 do mundo e o atual campeão olímpico. Mas, apesar da expectativa de equilíbrio, o favorito Ma Long venceu com certa facilidade, por 4 sets a 0, com parciais de 14/12, 11/5, 11/4 e 11/4, em 37 minutos

Era o título que faltava para coroar a brilhante carreira do novo campeão olímpico. Ma Long, que lidera o ranking desde março do ano passado (é a segunda maior sequência da história), já tinha um medalha de ouro olímpica, obtida em Londres-2012, mas era por equipes - não competiu no individual há quatro anos. Ele tem ainda oito títulos e diversos recordes no circuito mundial.

Para chegar à final, Ma Long precisou superar o japonês Jun Mizutani, 6º do mundo, responsável por eliminar o brasileiro Hugo Calderano nas oitavas de final. Num duelo equilibrado, o chinês levou a melhor por 4 sets a 2, com parciais de 11/5, 11/5, 11/5, 7/11, 10/12 e 11/5.

Zhang Jike, por sua vez, derrotou o bielo-russo Vladimir Samsonov por 4 sets a 1, parciais de 11/9, 13/11, 12/10, 6/11 e 11/9. Na disputa pelo bronze, Mizutani venceu Samsonov por 4 a 1, com parciais de 11/4, 11/9, 6/11, 14/12 e 11/8. Foi a primeira medalha do Japão da história no individual no tênis de mesa.

Antes de subir ao pódio, o chinês Ma Long comemorou a medalha de ouro fazendo um "coração" com a mão, em agradecimento ao apoio da torcida, que lotou o Riocentro. A final foi marcada pela agitação dos chineses, que viveram situação curiosa nesta noite, agindo como se fosse a torcida brasileira, tão criticada pelo barulho nesta Olimpíada.

Eles arriscaram cânticos de incentivo e, em situação inversa, ouviram pedidos dos brasileiros para fazerem silêncio. Em tom de brincadeira, os torcedores da casa faziam "shiiii" toda vez que os chineses se empolgavam mais na torcida. Os chineses não entenderam a brincadeira e se contiveram.