22°
Máx
17°
Min

Para ‘manter a forma’, atleta do levantamento de peso come dois frangos por dia

(Foto: Rio 2016) - Para ‘manter a forma’, atleta  come dois frangos por dia
(Foto: Rio 2016)

Quando o equatoriano Fernando Salas se senta para almoçar, a quantidade de comida na mesa seria suficiente para alimentar uma família. Durante a preparação para os Jogos do Rio, o atleta do levantamento de peso bebeu todo dia cerca de sete litros de água e comeu dois frangos assados para manter o sonho de bater a marca pessoal. O objetivo é erguer mais de 400 quilos.

Com 1,86m e 155 kg, o gigante equatoriano tem o maior índice de massa corporal (IMC) entre os 11.400 atletas olímpicos. O número é um dos indicadores utilizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para aferir o sobrepeso nas pessoas. A relação de peso e altura de Salas é de 44,8 e se encaixa na categoria de obesidade.

“Como cerca de 11 a 12 mil calorias por dia. Posso comer de tudo, sem problemas. Proteínas, carboidratos e doces são permitidos sem problema algum”, disse o equatoriano ao Estado de S. Paulo. O consumo do atleta é seis vezes maior do que as 2 mil calorias por dia recomendadas pela OMS para um adulto.

Salas explicou que precisa comer bastante para repor o gasto energético nos treinos. São quatro horas por dia na musculação, na preparação física e ensaios de movimentos que vai fazer nas competições. Na terça, será a estreia dele na categoria para homens acima de 105 kg, a disputa nos Jogos com a presença dos atletas mais fortes - e também com os competidores de maior IMC.

FEIJOADA PARA TRÊS - O equatoriano já incluiu na pesada dieta comidas brasileiras. Há um mês no Rio, ele foi provar a feijoada em um restaurante semanas atrás. “Acho muito boa. Comi uma vasilha de barro inteira, sozinho. Não tenho noção de quantas pessoas a quantidade poderia servir. Talvez umas três”, contou.

Competir com Salas nas refeições e nas provas olímpicas não será fácil. Ele conquistou o bronze nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no ano passado, mesmo depois de se recuperar de uma chikungunya semanas antes da competição. Recordista no Equador e 34.º no ranking mundial, ele tem como sonho no Rio bater o recorde pessoal. A meta é erguer 410 quilos. Se conseguir, o “comilão” certamente vai celebrar comendo muito mais do que dois frangos inteiros.