22°
Máx
17°
Min

Paranaense Vanderlei Cordeiro de Lima diz que ganhou "seu ouro" ao acender a pira olímpica

(Foto: Reprodução/COI/Facebook) - Vanderlei Cordeiro de Lima diz que ganhou "seu ouro" ao acender pira
(Foto: Reprodução/COI/Facebook)

A emoção tomou conta do ex-maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima, o responsável por acender a pira olímpica dos Jogos do Rio-2016 na cerimônia de abertura realizada nesta sexta-feira no estádio do Maracanã. Medalha de bronze na maratona da Olimpíada de Atenas-2004, na Grécia, depois de ter sido atacado pelo ex-padre irlandês Cornelius Horan no km 36, quando liderava a prova, o brasileiro quase não teve palavras para falar do momento mágico de sua vida.

"Recebi a minha medalha de ouro hoje (sexta-feira). Foi a minha primeira vez em uma cerimônia de abertura, já que sempre cheguei nos locais depois desta festa. Não tinha noção de como era tudo isso", disse Vanderlei Cordeiro de Lima, muito emocionado, em entrevista à TV Globo.

O ex-maratonista, hoje com 47 anos, recebeu em dezembro de 2004 a medalha Pierre de Coubertin, a maior condecoração concedida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), por mostrar o espírito olímpico não desistindo da prova e comemorando como ouro a medalha de bronze conquistado em Atenas.

Vanderlei Cordeiro de Lima ainda brincou com Hortência, ex-jogadora de basquete, e Gustavo Kuerten, ex-tenistas, que o precederam nos momentos finais do revezamento da tocha antes do acendimento da pira olímpica. "A Hortência acompanhou os meus batimentos cardíacos naquela hora. Estavam altos", afirmou, rindo da situação.

O ex-atleta atou as duas pontas dos 26 mil km do revezamento da tocha olímpica depois de ter marcado presença no primeiro dia, em Brasília, no dia 3 de maio. Vanderlei Cordeiro de Lima assumiu o posto que poderia ter sido de Pelé, mas o Rei do Futebol alegou problemas físicos e recusou o convite da organização.