24°
Máx
17°
Min

Parreira avalia que seleção olímpica do Brasil está no caminho certo

Foto: COB - Parreira avalia que seleção olímpica do Brasil está no caminho certo
Foto: COB

A seleção olímpica está no caminho certo no presente e também visando o futuro. A opinião é de Carlos Alberto Parreira, ex-treinador e ex-coordenador da seleção brasileira, campeão mundial em 1994 e que acompanha a Olimpíada como observador técnico da Fifa. Ele prevê dificuldades até o final dos Jogos, mas entende que o trabalho está sendo bem-feito e que as críticas realizadas após as duas primeiras partidas foram precipitadas.

Parreira falou com exclusividade ao Estadão.com depois da goleada sobre a Dinamarca por 4 a 0, jogo que habilitou a seleção a enfrentar a Colômbia pelas quartas de final neste sábado, no Itaquerão. "O objetivo era classificar e nós conseguimos classificar em primeiro, sem tomar nenhum gol. A gente aqui é muito apressado, o time estava se formando, com maneira nova de jogar, com três atacantes, jogadores que chegaram agora", lembrou, condenando as cobranças.

Da mesma forma que via exagero no pessimismo decorrente dos empates sem gols com África do Sul e Iraque, Parreira alerta para um possível otimismo exagerado a partir de agora. "A competição não vai ser fácil. A gente tem aí pela frente Alemanha, Portugal, vamos ter a Colômbia, que é um bom time", pondera.

Reconhece, porém, que o placar e o desempenho contra os dinamarqueses representou muito para a jovem seleção olímpica. "Sem dúvida alguma uma vitória como essa, 4 a 0 indiscutível e com os jogadores que nós temos, é claro que eles vão entrar muito mais confiantes e com mais moral e com o respeito do adversário."

A maneira como o time se comportou e se impôs ao adversário, após entrar em campo pressionada, também foi destacada por Parreira. "O Brasil foi um time calmo, se impôs desde o início, jogou ofensivo, com responsabilidade, seriedade, com atitude e impôs um jogo de qualidade técnica. O adversário não viu a cor da bola", observou.

Parreira aposta muito nessa nova geração de jogadores brasileiros, encabeçadas por Gabriel Jesus, Gabriel, Luan e com vários outros atleta talentosos. E considera que o Brasil poderá tirar bom proveito dela num futuro que pode até não estar tão distantes. "São os melhores jogadores que nós temos, são os que despontaram no último ano. Agora eles têm de evoluir, tem de jogar, para ir ganhando experiência, se acostumando com a seleção brasileira, com a pressão", disse. A acrescenta: "Com certeza eles vão ajudar muito o Brasil no caminho da Eliminatória e quem sabe alguns deles até na próxima Copa do Mundo (em 2018, na Rússia)".