22°
Máx
16°
Min

Pedro Veniss derruba vara e equipe do Brasil perde chance de bronze no hipismo

(Foto: Rio 2016) - Pedro Veniss derruba vara e equipe do Brasil perde chance de bronze
(Foto: Rio 2016)


O Brasil ficou muito perto de repetir, nesta quarta-feira, a medalha de bronze conquistada em 1996 e em 2000 na prova por equipes nos saltos no hipismo. Pedro Veniss, Alvaro de Miranda Neto (o Doda) e Eduardo Menezes derrubaram um obstáculo cada um em suas apresentações finais e deixaram o Brasil no quinto lugar. A França ganhou ouro e os Estados Unidos, a prata. De qualquer forma, é o melhor resultado do País no século.

Pedro Veniss foi o penúltimo ginete a se apresentar e tinha a obrigação de zerar o percurso para que o Brasil empatasse com o Canadá e, virtualmente, com a Alemanha em oito pontos no total, na briga pelo bronze. Mas Quabri de L'Isle derrubou a vara no oitavo obstáculo e deu adeus ao sonho.

A medalha seria a quarta da história do hipismo brasileiro nos Jogos Olímpicos, e todas foram conquistadas em disputas de saltos. Em Atlanta-1996 e Sydney-2000, a equipe ganhou o bronze. Depois, em Atenas-2004, Rodrigo Pessoa faturou o ouro - ele inicialmente terminou em segundo, mas o campeão foi desclassificado por doping de seu animal.

Rodrigo chegou a ser convocado para o Rio-2016, mas para ser reserva da equipe. Inconformado com a decisão do técnico norte-americano George Morris, recusou a convocação. Nesta quarta, estava nas tribunas, comentando a prova por um canal de televisão francês.

O Brasil chegou à rodada final por equipes zerado em faltas, mas sem descarte a fazer. Stephan Barcha, exatamente para quem Rodrigo perdeu a vaga, foi desclassificado na terça, porque seu cavalo apresentou feridas causadas pela espora do cavaleiro. A chamada "regra do sangue" exclui da competição os ginetes que causarem cortes nos animais.

Estados Unidos e Holanda, que passaram zerados pelo primeiro dia, competiram nesta quarta também só com três conjuntos. Ambos perderam animais por problemas físicos. França e Alemanha eram as outras ameaças.

Na primeira metade da prova, nesta manhã, todos os times tiveram faltas. Eduardo Menezes não passou ileso. Quintol derrubou um obstáculo, mas completou a pista dentro do tempo previsto de 82 segundos, perdendo quatro pontos.

A apresentação quase perfeita de Roger Yves Bost deixou a França com três pontos perdidos no total e o ouro garantido. A briga seria por prata e bronze. McLain Ward deixou os EUA muito perto de uma medalha. Ele foi o último norte-americano a se apresentar, deixando seu país com cinco pontos. A Holanda saiu da briga após Harrie Smolders perder 12 pontos.

Doda entrou na pista sabendo que, se zerasse o percurso com Cornetto K, manteria o Brasil na briga. No antepenúltimo obstáculo, entretanto, derrubou a vara. Com oito pontos perdidos, o time brasileiro saiu da briga pela prata e passou a disputar o bronze com a Alemanha e Canadá.

Se Pedro zerasse o percurso, o Brasil ficaria com oito pontos perdidos, empatado com o Canadá. O último alemão entraria para a última pista ainda mais pressionado, também com oito pontos. No oitavo obstáculo, entretanto, o sonho se foi.