23°
Máx
12°
Min

Pelé diz que ouro olímpico no futebol provocaria 'carnaval' no Brasil

Foto: AFP - Pelé diz que ouro olímpico no futebol provocaria 'carnaval' no Brasil
Foto: AFP


Maior nome da história do futebol, Pelé acompanhará como um torcedor a nova tentativa da seleção brasileira de enfim faturar a medalha de ouro olímpica. Avaliando que essa conquista é a mais desejada pelo torcedor brasileiro às vésperas dos Jogos do Rio, ele aposta que haverá uma grande festa em caso de êxito da equipe dirigida por Rogério Micale e liderada por Neymar.

"Se ganhar o torneio de futebol, eu não tenho nenhuma dúvida que as pessoas vão para a rua. Será como o carnaval. Eu realmente espero que nós tenhamos a chance de ganhar esta medalha de ouro", afirmou o Rei do Futebol em entrevista ao jornal francês Le Parisien, publicada nesta terça-feira.

Pelé também celebrou a realização da Olimpíada no Rio apenas dois anos depois de o País sediar a Copa do Mundo, vencida pela Alemanha e que ficou marcada pelo acachapante triunfo dos campeões sobre a seleção brasileira por 7 a 1 nas semifinais.

"Acho que o Brasil é o melhor lugar para sediar os Jogos Olímpicos. Nós ainda nos lembramos da final da Copa do Mundo. A derrota do Brasil nas semifinais foi um desastre sem explicação. Tenho certeza de que estes Jogos serão excelentes. Esta será a Olimpíada de todos. Vai ser uma festa", disse.

Cotado para ser o responsável por acender a pira olímpica, Pelé, claro, manteve o mistério sobre o escolhido para fazê-lo, mas se lembrou do histórico momento nos Jogos de Atlanta, em 1996, quando Muhammad Ali teve a incumbência de realizar o ato simbólico.

Aos 75 anos, Pelé ainda se recupera de uma cirurgia no quadril, o que tem dificultado a sua locomoção, que vem sendo auxiliada pelo uso de uma bengala. Durante a passagem da tocha olímpica, Pelé até a carregou, mas não a conduziu, o que o manteve como candidato a acender a pira.

"Seria uma honra. Quando o Brasil foi eleito para sediar os Jogos, recebi a chama. Na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Atlanta, nos Estados Unidos, eu conheci pela primeira vez Muhammad Ali, que conduziu a tocha por último. Esta é uma das minhas maiores memórias. Seria uma grande oportunidade no meu país, mas, você sabe, eu não afirmo nada", comentou.

O boxeador norte-americano, aliás, foi citado por Pelé como o maior atleta olímpico do passado. O Rei do Futebol brincou ao declarar que só não se citaria por não ter participado de uma edição dos Jogos e avaliou que hoje o astro jamaicano Usain Bolt é incomparável.

"Eu nunca participei dos Jogos. Caso contrário, eu teria dito: 'Eu'. Mas, sério, agora, há Usain Bolt. Ele é o homem que impõe o seu estilo. Já é uma lenda. Os Jogos Olímpicos são diferentes do futebol e é difícil comparar. Mas Bolt está acima. Eu fui o mestre de futebol, ele é o mestre da nova geração", afirmou.