27°
Máx
13°
Min

Phelps e Ledecky brilham e brasileiros não avançam nos 200m borboleta

(Foto: Divulgação/Flavio Florido/COB) - Phelps e Ledecky brilham e brasileiros não avançam nos 200m borboleta
(Foto: Divulgação/Flavio Florido/COB)

Os norte-americanos Michael Phelps e Katie Ledecky cumpriram a obrigação e se classificaram para as finas em duas provas individuais, os 200 metros borboleta e os 200 metros livre, respectivamente, mas sabem que nas finais terão rivais de peso. Os dois foram os mais ovacionados na noite desta segunda-feira no Estádio Aquático Olímpico e, nesta terça-feira à noite, vão lutar por mais medalhas para suas coleções.

Com 1min54s12, Phelps se classificou com o segundo melhor tempo, atrás apenas do húngaro Tamas Kenderesi (1min53s96), e nesta terça vai lutar pela quarta medalha olímpica de uma das provas que mais gosta e na qual é recordista mundial com o tempo de 1min51s51. Ele ganhou o ouro em Atenas-2004 e Pequim-2008, e a prata em Londres-2012.

Aos 31 anos, o nadador saber que terá de se recuperar rápido de uma prova para outra. Após ganhar o ouro no revezamento 4x100m livre, ele teve pouco tempo para descansar. "Depois da prova, eu comi uma massa, e nem gosto muito, e só fui dormir às 3h da manhã. Às 11h já estava de pé para competir pelas eliminatórias", afirmou. "Estou tentando fazer o máximo possível para recuperar meu ácido lático: massagem, banho de gelo, alimentação."

Questionado sobre doping, Phelps se manifestou numa clara crítica à russa Yulia Efimova, que também nadou nesta segunda, foi vaiada e ficou com a prata nos 100 metros peito. "Eu acho que os esportes devem ser limpos. Acho triste termos pessoas que testaram positivo para doping não uma, mas duas vezes. Isso me decepciona demais", comentou.

Ledecky, por sua vez, se classificou na segunda posição (1min54s81) nos 200 metros livre, atrás da sueca Sarah Sjostrom - 1min54s65. Quem também está no páreo é a italiana Federica Pellegrini, terceira mais veloz das semifinais, com 1min55s42. "A Sarah estava muito rápida e conseguiu ir bem nessa prova. Mas ainda é a semifinal. Espero conseguir voltar mais forte para a disputa final", avisou Ledecky.

Nesta mesma prova, a norte-americana Missy Franklin ficou fora da final e chorou muito. "Tentei fazer o meu melhor na prova e na preparação. Vou manter a cabeça erguida e falar com meus treinadores para entender o que deu errado. Confio em Deus e vou continuar lutando", disse a atleta, que registrou somente o 13º tempo, com 1min57s56.

A brasileira Manuella Lyrio também ficou fora da final, mas festejou o fato de ter ficado à frente de Missy, que foi sensação dos Estados Unidos nos Jogos de Londres-2012. "Foi o melhor que eu tinha e saio satisfeita. Ela é uma referência grande, queria estar na frente dela e é legal ganhar de uma pessoa que é tão boa. Mas queria ter feito um tempo ainda melhor", afirmou a brasileira, 12ª mais rápida da semifinal, com 1min57s43.

Quem roubou a cena na noite desta segunda foi a húngara Katinka Hosszu, que chegou ao Rio sem qualquer medalha olímpica e já acumula dois ouros. Ela havia vencido os 400 m medley e desta vez teve uma disputa acirrada nos 100 m costas para levar a melhor sobre a norte-americana Kathleen Baker. Hosszu bateu em primeiro, com 58s45, enquanto Baker anotou 58s75. A canadense Kylie Masse e a chinesa Yuanhui Fu cravaram juntas 58s76 e ganharam cada uma o bronze.

Na prova de 200 metros livre, o chinês Sun Yang se emocionou ao levar o ouro. Ele deixou para trás o sul-africano Chad le Clos e vibrou bastante após um duelo muito equilibrado ao longo de toda a prova. O chinês venceu com o tempo de 1min44s65, seguido de Le Clos (1min45s20) e do norte-americano Conor Dwyer, que levou o bronze, com 1min45s23.

Os Estados Unidos ganharam as outras duas medalhas de ouro da noite: com Ryan Murphy, nos 100 m costas, e com Lilly King, nos 100 m peito. Ambos subiram ao lugar mais alto do pódio com novos recordes olímpicos. Murphy registrou 51s97, enquanto King anotou 1min04s93.

BRASILEIROS - Leonardo de Deus e Kaio Márcio não conseguiram avançar à final dos 200 metros borboleta. Eles foram o 13º e o 14º, respectivamente, nas semifinais. O primeiro marcou 1min56s77, enquanto Márcio registrou 1min57s45.

Nesta terça, competem pelo Brasil nas eliminatórias dos 100 metros livre Nicolas Nilo Oliveira e Marcelo Chierighini. Joanna Maranhão estará nos 200 metros borboleta e Thales Cerdeira e Thiago Simon vão competir nos 200 metros peito. Haverá ainda o revezamento 4x200 metros livre.