22°
Máx
14°
Min

Polícia busca chefes do tráfico da Maré após ação contra oficiais da Olimpíada

(Foto: EBC)  - Polícia busca chefes do tráfico da Maré após ação contra oficiais
(Foto: EBC)


A polícia do Rio procura três chefes do tráfico de drogas do Complexo da Maré, na zona Norte, onde na última quarta-feira dois agentes da Força Nacional de Segurança, na cidade para o reforço da segurança por conta da Olimpíada, foram feridos. Os traficantes são Thiago da Silva Folly, o TH, Alexandre Ramos do Nascimento, o Pescador, e Paulo Sergio Medeiros da Cunha, o Paulinho PL. O Disque-Denúncia oferece uma recompensa de R$ 2 mil por informações que levem à prisão deles.

A equipe da Força Nacional foi atacada a tiros de fuzil quando passava pela localidade Boca do Papai, na Vila do João, uma das comunidades mais perigosas do complexo. Os militares entraram na favela por engano. O soldado da PM de Roraima Hélio Andrade, que dirigia o carro da FNS, levou um tiro na cabeça e está no Hospital Salgado Filho em estado muito grave. O capitão Allen Marcos Ferreira levou um tiro de raspão no rosto e está bem. O terceiro, o soldado do Piauí Rafael Pereira, não se feriu.

A Força Nacional cercou os acessos das favelas Vila do João e Vila dos Pinheiros do Complexo da Maré na manhã desta quinta. Agentes fazem revistas a moradores e veículos que circulam na região. Militares do Exército também foram deslocados para a Favela do Timbau.

O canal comunitário de comunicação Maré Vive relata no Facebook a situação no complexo nesta quinta. Ele compartilhou uma foto com uma mancha de sangue na calça com a legenda: "O sangue corre no chão da favela. Olimpíada pra quem?".

Por volta das 10 horas, publicou um "relato do front": "Helicóptero voando baixo, janela tremendo forte. O dia clareando. As ruas tomadas pelo silêncio e por carros blindados, tanques de guerra. Tensão. Favela da Maré. Exército, BOPE, Força Nacional. (...) Estamos na mídia. Lugar a ser evitado."