21°
Máx
17°
Min

Presidente do comitê australiano agora diz que Vila 'é a melhor já vista'

(Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil) - Presidente do comitê australiano elogia a Vila
(Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil)

Depois de declarar que a Vila Olímpica era "inabitável", agora a delegação australiana muda de tom e afirma: o local é "a melhor Vila já vista em Jogos Olímpicos". O elogio veio do presidente do Comitê Olímpico Australiano e vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), John Coates. Ele, porém, alerta: o trânsito e o transporte ainda podem ser um risco.

Coates tem participado de Jogos desde 1976. Há dois anos, ele afirmou que a Olimpíada do Rio era o evento mais atrasado que já havia visto no movimento olímpico e criticou duramente os organizadores. Agora, sua postura é de que a crise começa a ser solucionada.

Desde que a delegação australiana desembarcou no Rio, sua participação passou a ser alvo de polêmica. O grupo, ao entrar nos apartamentos, se queixou das condições e deixou a Vila. Depois de trabalhos de emergência, a delegação voltou.

Mas, na sexta-feira passada, um princípio de incêndio assustou uma vez mais os australianos. Quando estavam por evacuar o prédio, alguns dos quartos acabaram sendo alvo de furtos.

Agora, Coates tenta colocar panos quentes e diz que está "muito satisfeito" com o trabalho pronto. "Há três meses, eu visitei a Vila e ela parecia incrível por fora. Quando a delegação se mudou ao local, as coisas não estavam prontas. Mas muito trabalho foi feito e estou muito impressionado", disse. "É a melhor Vila Olímpica que eu já vi em termos de condições para atletas", afirmou o vice-presidente do COI e com décadas de experiência em eventos.

Ele também indicou que, se há dois anos estava preocupado com a total ausência de trabalho em Deodoro, hoje ele está satisfeito com a situação.

PROBLEMAS - Apesar dos elogios, os australianos alertaram que os problemas não acabaram. "As instalações esportivas são boas. Mas teremos problemas operacionais. Sempre existem esses problemas", disse. "Eu ficaria surpreso se não houvesse. Tivemos em Sydney em 2000", afirmou.

Um dos temores é com o transporte. "Tenho certeza que teremos problemas de transporte para ir aos locais de provas. Londres teve, nós na Austrália tivemos", apontou, citando casos de motoristas perdidos e ônibus que não estavam nos locais marcados. "Estou antecipando que isso também pode ocorrer aqui", afirmou.

Segurança e a qualidade da água também são pontos onde podem ter ainda "soluções", segundo o dirigente.